DA ARQUIBANCADA

No mundo da LuA

Por enquanto, América 2 x 0 LuArenas. Torço para que o placar final do jogo seja de 5 a 0 para o Coelhão

postado em 14/04/2017 12:00 / atualizado em 14/04/2017 10:33

Ramon Lisboa/EM/D.A Press

No mundo da LuArenas, ex-BWA, tudo é permitido, desde que seja lucrativo para a empresa. No mundo da LuArenas, contratos assinados não têm nenhum valor, pois a empresa acredita que o Brasil é o país da impunidade. No mundo da LuArenas, matérias de jornais e sites que denunciam suas atividades suspeitas de venda de ingressos e gerenciamento de estádios não têm a menor importância, já que a empresa é forte e consegue, sabe-se lá como (desconfia-se...), vencer licitações e assinar contratos milionários.

Em coluna datada de 4 de abril, citei várias denúncias contra a empresa. (Confira aqui)

Hoje, separei apenas uma. Do UOL, em 24/12/2016: “Após o fim das Olimpíadas e a desistência da Odebrecht em seguir no comando do Maracanã, uma briga foi instaurada no Rio de Janeiro. LuArenas (Largardère/BWA) e CSM disputam para ver quem assumirá o estádio. (...) Inicialmente, o Flamengo tem como objetivo assumir o Maracanã, mas sabe que essa situação é muito pouco provável. Assim, tomou partido na briga entre as empresas candidatas.

Existe uma favorita (CSM) e outra a qual se opõe (Largardère/BWA). O Rubro-negro já emitiu notas oficiais e explicou o porquê de se opor à Largardère/BWA. Segundo o clube, a empresa não corresponde nos quesitos transparência e credibilidade. (...) O Flamengo lembra ainda que o América-MG, dono do Independência, acusa a BWA de não repassar há 10 meses o percentual do clube nos ganhos (Nota: atualmente, o calote da BWA/LuArenas é de R$ 3 milhões devidos ao América e ao governo de MG).

No mundo da LuArenas, o compromisso de contrapartida assumido com a comunidade que habita o entorno do Independência é bobagem, deixa isso pra lá, o que temos de fazer é construir um puxadinho (veja na foto acima) na área destinada à convivência desses moradores, ampliar a capacidade do estádio e garantir o nosso “sagrado” lucro. A ética e o povo que se explodam!

Ainda bem que, diferentemente do mundo da LuA, aqui na Terra, onde se espera que a Justiça seja isenta da possibilidade de ser corrompida, o América luta para impedir a construção do puxadinho ilegal – pois que está sendo feito sem a licença obrigatória do clube (proprietário do estádio) e do governo do estado. A construção é tão absurda e abusiva em termos legais que, nesta semana, o América conseguiu duas vitórias: 1ª) A Justiça determinou a proibição da LuArenas “disponibilizar ingressos para além da capacidade oficial do Estádio Independência, cujo número não poderá considerar, em hipótese alguma e para qualquer tipo de evento, os lugares acrescidos em decorrência da ‘arquibancada móvel’ recentemente construída”; 2ª) A Prefeitura “interditou as arquibancadas acrescentadas a esta praça esportiva” (Independência), por ausência da documentação necessária.

Por enquanto, América 2 x 0 LuArenas. Torço para que o placar final do jogo seja de 5 a 0 para o Coelhão.

Tags: americamg