Atlético

ATLÉTICO

Mercado, decisões e recuperação: os dois meses do Atlético até a volta da Libertadores

Equipe encerrou fase de grupos como líder e voltará a jogar uma partida da competição internacional no início de julho, nas oitavas de final

postado em 19/05/2017 06:01 / atualizado em 18/05/2017 19:06

Jogo atrás de jogo, time embalado, torcida empolgada… O ritmo frenético do Atlético na Copa Libertadores terá uma pausa forçada. O curto intervalo de uma ou duas semanas entre uma goleada e outra na fase de grupos aumentará e muito. Líder da chave 6, o time alvinegro ficará quase dois meses sem atuar pela competição.

Nesse meio tempo, muita coisa pode mudar para a equipe do técnico Roger Machado. Veja abaixo o que o Atlético terá de enfrentar e quais são as possibilidades do time nos próximos 50 dias de “abstinência” da tão sonhada Libertadores.

1. Chegada de reforços

Reprodução/Ingolstadt

O Atlético aproveita o tempo para se reforçar. O lateral-direito Alex Silva, cria da base alvinegra, retornou de empréstimo do América para preencher lacuna deixada na posição após a lesão de Carlos César.

O volante Roger Bernardo se despede do Ingolstadt neste sábado. Ele se juntará ao elenco e será inscrito na Copa Libertadores.

Além deles, outros reforços podem chegar. O presidente Daniel Nepomuceno afirmou ao Superesportes que o Atlético pode, sim, contratar outro lateral. O nome de um zagueiro também pode voltar à pauta. Valdívia, do Internacional, está em negociações com o clube mineiro.

2. A temida “janela”

Chega o meio da temporada, e os torcedores dos times brasileiros começam a temer. A “janela” de transferências internacionais ameaça o Atlético entre junho e julho mais uma vez.

Nomes como Gabriel e Rafael Carioca já estiveram na mira de clubes do exterior. Em grande fase, Juan Cazares pode despertar o interesse do futebol internacional se mantiver o bom nível de atuações.

3. “Gordura” no Nacional

Juarez Rodrigues/EM

Até a volta da Libertadores, o Atlético disputará dez jogos do Campeonato Brasileiro. Sem ter que dividir atenções com a competição internacional, o time mineiro pode tentar embalar na Série A.

Alguns dos rivais nesse período, inclusive, despontam como candidatos a boas posições no campeonato: Fluminense, Palmeiras e Cruzeiro. O clássico, no dia 2 de julho, é a última partida antes da ida das oitavas de final.

4. Copa do Brasil

“Especialista” em mata-matas, o Atlético pode avançar na Copa do Brasil enquanto a Libertadores não volta. Nos dias 24 e 31 de maio, a equipe enfrenta o Paraná. Se conseguir a classificação, o time mineiro pode ter que disputar a ida das quartas de final na semana do dia 26 de junho - sete dias antes de uma provável oitavas da competição internacional.

5. Retornos

Além de possíveis chegadas, o Atlético pode ser “reforçado” com o retorno de jogadores que já estão no elenco.

O zagueiro Leonardo Silva e o meia-atacante Luan sofreram lesão muscular na coxa direita. O lateral-direito Carlos César, por sua vez, rompeu o ligamento do tornozelo esquerdo e já passou por cirurgia.

Leo Silva e Luan não tiveram tempo de retorno estimado divulgado pelo Atlético. Já Carlos César ficará entre três e quatro meses de fora.

Sem jogos da Libertadores nos próximos 50 dias, o Atlético ganha tempo para recuperar os lesionados.

*Produzido sob supervisão de Bruno Furtado

Tags: mercadobola futnacional futinternacional galo atleticomg libertadores2017