Você está em MG

VIOLÊNCIA ENTRE TORCEDORES

Festa de comemoração do tricampeonato celeste termina após briga entre torcidas

A informação foi confirmada pelo diretor de futebol do Cruzeiro, Alexandre Mattos. Muitas pessoas ficaram feridas na confusão nos arredores do Mineirão

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 01/12/2013 20:39 / atualizado em 01/12/2013 21:42

Cristiane Silva /Estado de Minas , Bruno Freitas /Estado de Minas

Alexandre Guzanshe/EM/DA Press

A festa de comemoração do tricampeonato do Cruzeiro, marcada para as 20h deste domingo, terminou após uma confusão envolvendo torcidas organizadas pouco depois do final da partida contra o Bahia no Estádio Mineirão, na Região da Pampulha. A informação foi confirmada pelo diretor de futebol do Cruzeiro, Alexandre Mattos, pediu que as autoridades tomem providências contra os torcedores violentos.

Durante a saída, membros das torcidas organizadas Máfia Azul e Pavilhão Independente, ambas do time mineiro, se enfrentaram na Avenida Abrahão Caram, perto da passarela de acesso ao Mineirinho. Eles pegaram pedaços de pau para enfrentar policiais militares. Houve confronto e a PM chegou a disparar balas de borracha e usar bombas de gás lacrimogênio para dispersar a confusão. A briga só terminou após a chegada do batalhão de choque.

Com o tumulto, muitas pessoas ficaram feridas e começaram a receber os primeiros socorros do lado de fora do estádio, ainda na calçada. Seguranças da Minas Arena fizeram um cordão de isolamento nas saídas do estádio, liberando o mínimo de pessoas. Tapumes foram colocados no local para reforçar o bloqueio. No entanto, isso acaba dificultando a entrada das pessoas que precisam de atendimento médico do posto dentro do estádio.

A delegação do Bahia, que venceu por 2 a 1, também foi alvo de vandalismo. Ao deixar o Mineirão, o ônibus que levava a equipe foi alvo de uma chuva de copos e outros objetos.

Mesmo depois do anúncio do cancelamento da festa, muitos torcedores ainda permanecem no entorno do estádio, perto do trio elétrico onde aconteceria o show da festa. A polícia militar pede que os torcedores não fiquem na área e continuem a comemoração em casa ou em outros locais, em segurança.

O tenente-coronel Antônio de Carvalho, comandante do Batalhão de Policiamento de Eventos (BPE) voltou a reclamar dos organizadores da festa, que teriam acionado a PM de última hora para organizar o esquema de realização da comemoração. Em entrevista à rádio Itatiaia, ele informou que pretende enviar um boletim de ocorrência ao Ministério Público para que o órgão tome providencias a respeito da situação ocorrida hoje. “O clube designa alguém para fazer isso (organizar o evento), tem uma pessoa que desenvolve os eventos. Essa empresa é que não procurou a polícia militar em tempo hábil, e é isso o que está acontecendo agora”, explicou o militar.