Atlético

ATLÉTICO

Apesar de alto investimento do Atlético, Mattos diz que situação financeira é 'delicadíssima': 'Receitas beirando a zero'

Segundo dirigente, clube alvinegro antecipou, em 2015, receitas do Brasileiro de 2019 e 2020

postado em 04/07/2020 16:41

(Foto: Bruno Cantini/Atlético)

Com mais de R$ 85 milhões investidos, o Atlético é um dos times brasileiros que mais gastou em contratações durante a paralisação do futebol por conta da pandemia do coronavírus. Apesar das altas cifras, a situação financeira é “delicadíssima” e com “receitas beirando a zero”, segundo o diretor de futebol do Galo, Alexandre Mattos.

Com o apoio de parceiros, o Galo contratou seis jogadores durante a pandemia: os zagueiros Bueno e Junior Alonso, os volantes Léo Sena e Alan Franco e os atacantes Marrony e Keno. Além disso, o clube comprou, de forma definitiva, o meia Nathan, que pertencia ao Chelsea e estava emprestado ao alvinegro. Todas as negociações somam R$ 85,7 milhões.

Em entrevista ao canal Tuddo Comunicação, do Youtube, Alexandre Mattos falou sobre a situação financeira delicada do Atlético e revelou que as receitas do clube para este ano e o próximo beiram a zero.

“Time delicadíssimo financeiramente, receitas beirando o zero, neste ano e no próximo. Em 2015, o Atlético antecipou as receitas do Campeonato Brasileiro de 2019 e 2020. Campeonato Mineiro não sei nem quando”, disse o dirigente.

Segundo Mattos, a presença de um investidor ajuda o clube a manter o projeto mesmo com as altas dívidas e baixas receitas. Dos R$ 85,7 milhões gastos em negociações, ‘apenas’ 11,8 milhões saíram dos cofres do Atlético. O alvinegro pagou do próprio bolso a contratação do atacante Keno. Todos os outros jogadores foram investimentos feitos por Rubens Menin, principal patrocinador da atual diretoria.
 
“Hoje, obviamente, nós temos um atleticano que nos ajuda, e somos muito gratos, que vai construir uma arena espetacular e já quer que o Atlético chegue num patamar de protagonismo. É isso que ele quer e é com isso que ele está nos ajudando. Mas, não temos recursos, vamos ter que ter todo esse esforço para chegar, em dois ou três anos”, completou o diretor de futebol.

O Atlético ainda pode aumentar o valor investido no futebol durante a paralisação. Isso porque o técnico Jorge Sampaoli quer um centroavante e pode buscar um goleiro no mercado.

Tags: atleticomg interiormg futnacional coronavirus seriea mercadobola