SELEÇÃO BRASILEIRA

Alexandre Gallo vê preparação inédita para as Olimpíadas de 2016 no Rio e teme a Colômbia

Treinador garantiu que time olímpico chegará muito bem preparado para a disputa

postado em 01/12/2014 12:03 / atualizado em 01/12/2014 12:07

Divulgacao CFA
Alexandre Gallo está empolgado com a preparação da Seleção Brasileira para as Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016. Encarregado da missão de conquistar a medalha de ouro inédita dentro de casa, o treinador tem feito um intenso trabalho de garimpagem e promovido uma série de amistosos para justificar a sua confiança.

“Vamos chegar muito preparados. Pela primeira vez na história, tivemos um planejamento de aproximadamente 50 jogos até as Olimpíadas. Já fizemos 38, com bons resultados. Isso é mérito dos atletas, que estão se dedicando muito”, enalteceu Gallo, durante a sua participação no 1º Fórum Brasil de Treinadores, na manhã desta segunda-feira.

O comandante das categorias de base da Seleção Brasileira chegou até a apontar os potenciais concorrentes do país. Para ele, a Colômbia continuará a dar trabalho para as gerações futuras, assim como já ocorreu na última vitória da equipe de Luiz Felipe Scolari na Copa do Mundo deste ano.

“O time que mais se aproxima de nós e que vai incomodar bastante é a Colômbia”, advertiu Gallo, que terá os colombianos como adversários já na primeira fase do Sul-americano Sub-20, disputado entre janeiro e fevereiro, no Uruguai. O rival temido pelo técnico do Brasil é o atual campeão do torneio.

Além de exaltar a Colômbia e a própria base brasileira, Gallo falou bastante sobre o planejamento das seleções europeias. Lembrou que crianças de cinco anos já são lapidadas na Alemanha; de oito, na Espanha; e, com 12, ganham contratos com seus clubes formadores em Portugal.

“Não podemos deixar de abrir os olhos para o que está acontecendo no mundo. A condição de trabalho dada para quem está lá fora é muito superior à nossa”, lamentou Gallo, para quem os técnicos brasileiros sofrem com a cultura dos dirigentes. “Planejamento bom no Brasil é ganhar na quarta-feira. Esse é o único que existe.”

Tags: categoriasdebase selefut alexandregallo