FUTEBOL

Dunga não descarta Fred e Julio Cesar na Seleção

Técnico disse que não existe "lista negra" durante evento, em Brasília. Japão homenageou jogadores brasileiros que atuaram no país

postado em 01/08/2014 12:03 / atualizado em 01/08/2014 12:41

Da redação do Super Esportes DF /Correio Braziliense

A pouco mais de duas semanas de sua primeira convocação na volta ao comando da Seleção Brasileira, o técnico Dunga esteve em Brasília, na manhã desta sexta-feira (1/8), para encontro com o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe. Frequentemente questionado sobre a próxima lista, Dunga admitiu que atletas questionados e mais velhos, como Fred e Julio Cesar, podem voltar a vestir a amarelinha.

AFP PHOTO/VANDERLEI ALMEIDA

"Quem disse que eles não vêm?", despistou, com um sorriso. Depois da decepcionante campanha na Copa do Mundo, o técnico assegurou não haver uma "lista negra", com jogadores que não têm mais chances. "Estamos pesquisando em todos os setores. Não podemos, de uma hora para outra, mudar tudo", continuou.

A embaixada do país oriental promoveu o Encontro da Gratidão, no Golden Tulip Brasília Alvorada. Brasileiros que atuaram no Japão ouviram agradecimentos pela ajuda no fortalecimento do futebol por lá.

Zico também fez parte do encontro, assim como Bismarck, César Sampaio, Alcindo, Sérgio Echigo, Marinho, José Oscar Bernardi e o presidente da Associação de Futebol do Japão, Kuniya Daini. Em cerimônia rápida, Shinzo Abe, que já havia encontrado a presidente Dilma Rousseff, elogiou a atuação dos brasileiros em seu país. "Os senhores são patrimônio do relacionamento nipo-brasileiro", exaltou o primeiro-ministro.
Ivo Gonzalez/Agência O Globo

Dunga recebeu das mãos de Daini uma camisa do Japão com seu nome e o número 8. O técnico da Seleção jogou por três anos no Júbilo Iwata (1995 a 1998). No próximo dia 19, ele convocará o grupo para amistosos contra Colômbia e Equador, em setembro. "A Copa do Mundo demonstrou que o futebol sul-americano cresceu muito. Alguns anos atrás, apenas brasileiros e argentinos iam jogar na Europa. Hoje, chilenos, colombianos, equatorianos e paraguaios estão lá. Está cada vez mais difícil disputar uma vaga na Copa", destacou Dunga, referindo-se às Eliminatórias para o Mundial de 2018.

 

*Com informações de Vítor de Moraes