SELEÇÃO BRASILEIRA

Com um a mais, Brasil vence na reestreia de Dunga com golaço de Neymar

O novo capitão da Seleção acertou o ângulo em cobrança de falta já no fim do jogo e cravou a vitória diante da Colômbia

postado em 06/09/2014 00:01 / atualizado em 06/09/2014 00:24

Gazeta Press

Mike Ehrmann/Getty Images/AFP

Escolhido por Dunga como novo capitão da Seleção Brasileira, Neymar fez jus à braçadeira ao garantir a primeira vitória do treinador após suceder Luiz Felipe Scolari. O atacante do Barcelona marcou um gol de falta para fechar o placar da noite desta sexta-feira em 1 a 0 sobre a Colômbia, no Estádio Sun Life, em Miami. O adversário teve Cuadrado expulso, no início do segundo tempo.

Com o resultado, o primeiro positivo do Brasil depois das vexatórias derrotas por 7 a 1 para a Alemanha e por 3 a 0 para a Holanda na Copa do Mundo, o time de Dunga ganha confiança para o seu próximo compromisso. O amistoso contra o Equador será na terça-feira, em Nova Jérsei, também nos Estados Unidos.

O jogo – A Seleção Brasileira de Dunga era diferente daquela que foi comandada por Felipão antes mesmo de a bola rolar. Os jogadores não se abraçaram na hora da execução do Hino Nacional. Preferiram levar as mãos ao peito, porém sem deixar de cantar com empolgação.

Já no centro de campo, houve um encontro que gerava expectativas. Capitães de Brasil e Colômbia, Neymar e Zúñiga se cumprimentaram amigavelmente. O atacante do Barcelona acabou fora da última Copa do Mundo depois de um falta violenta cometida pelo lateral direito do Napoli.

O clima amistoso acabou aí. Com o início do primeiro tempo, brasileiros e colombianos mais uma vez mostraram rispidez nas divididas. O que obrigou o árbitro canadense Dave Gantar a distribuir seis cartões amarelos apenas no primeiro tempo.

Para superar a forte marcação da Colômbia, o Brasil apostou na movimentação. Diego Tardelli, ao contrário de Fred na Copa do Mundo, buscava o jogo de um lado a outro do campo. Neymar e Willian também eram participativos. Oscar, nem tanto.

Aos 24 minutos, a Seleção Brasileira chegou a colocar a bola na rede. Uma das novidades de Dunga, Filipe Luís avançou pela esquerda e bateu cruzado. Tardelli completou para a rede, porém o assistente assinalou um duvidoso impedimento.

Mas não era só o Brasil que atacava. Pela Colômbia, Cuadrado se mostrou o mais envolvente jogador. Já James Rodríguez chamava mais a atenção do público pela fama adquirida na Copa do Mundo do que pelo futebol, pois fez somente um e outro lançamentos no primeiro tempo.

Antes do intervalo, o Brasil ainda teve pelo menos duas boas chances de gol. Oscar foi acionado por Willian na esquerda e bateu mal, para fora. Mais tarde, o veterano Maicon ajeitou a bola para Neymar, que finalizou cruzado e também errou o alvo.

Para o segundo tempo, quem entrou em ação foi Dunga. O técnico trocou a sua dupla de volantes, punida com cartões amarelos. Saíram Luiz Gustavo e Ramires para as entradas de Fernandinho e Elias. Na Colômbia, o argentino José Pékerman substituiu Ramírez por Arias.

A estratégia colombiana para a etapa final ruiu em quatro minutos. Cuadrado cometeu falta em Neymar, foi punido com mais um cartão amarelo e consequentemente com o vermelho. Os brasileiros se revoltaram com a violência. Os colombianos, com a arbitragem.

O fato é que o Brasil passou a ter mais liberdade dentro de campo. Em pouco tempo, criou outras boas chances de gol. David Luiz fez lembrar a sua falta certeira na Copa do Mundo sobre a Colômbia com uma cobrança com efeito, que parou em Ospina. Já em seguida, Oscar rolou de calcanhar para Tardelli, que dividiu com Valdés e mandou para fora.

Diante do domínio brasileiro, a Colômbia não economizou novos pontapés. Por sua vez, Pékerman mexeu no ataque, com Bacca e Guarín nos lugares Téo Gutiérrez e Jackson Martínez, e depois alterou Zúñiga por Mejía. Dunga não ficou atrás. Philippe Coutinho e Éverton Ribeiro assumiram as funções de Oscar e Willian.

O panorama da partida não mudou muito com as mudanças, e a torcida colombiana começou a pedir o ídolo Falcao García em campo. Pékerman atendeu, sacando a revelação James Rodríguez. De imediato, Dunga optou por Robinho no posto de Tardelli – e foi obrigado a colocar Marquinhos na função do lesionado David Luiz.

Aos 37 minutos, o Brasil finalmente marcou o seu gol. Coube a Neymar cobrar uma falta com categoria, no ângulo, e abrir o marcador e garantir a alegria de Dunga. Do outro lado, os colombianos voltaram a reclamar com a arbitragem, como fizeram na derrota nas quartas de final da Copa do Mundo.