Vitória econômica

Seleção Brasileira volta a vencer pela contagem mínima e mostra que tem ao menos dois problemas para resolver: encontrar um lateral-direito e um falso nove

postado em 09/09/2014 23:57 / atualizado em 10/09/2014 00:16

Da redação do Super Esportes DF /Correio Braziliense

AFP PHOTO / TIMOTHY A. CLARY
 

A segunda era Dunga à frente da Seleção Brasileira começou melhor do que a primeira. Há oito anos, o capitão do tetra empatou com a Noruega por 1 x 1 e venceu a Argentina por 3 x 0 nas duas primeiras partidas. O ciclo para o Mundial da Rússia inicia com triunfos diante da Colômbia e do Equador, ambos por 1 x 0. Resultados à parte, alguns nomes testados pelo comandante verde-amarelo estão em xeque para os amistosos contra a Argentina e o Japão, em outubro.

Substituto de Maicon, excluído do elenco por ter se reapresentado 11 horas atrasado à concentração, em Miami, o lateral-direito Danilo não agradou na vitória desta terça-feira, sobre o Equador, em Nova Jersey. O ex-jogador do Santos, atualmente no Porto, esteve aquém da tradição da camisa 2. A sucessão de Daniel Alves e Maicon é um problemão para Dunga resolver até a Copa América de 2015 e as Eliminatórias. Diego Tardelli, o tal falso camisa 9, não balançou a rede em nenhuma das exibições. Éverton Ribeiro e Ricardo Goulart foram tímidos no tempo que tiveram para mostrar serviço.

A linha de armadores formada por Oscar, Willian e Neymar é livre, leve e solta, mas corre demais com a bola. Nenhum deles candencia o jogo. Nenhum deles prende a bola quando o jogo exige posse de bola. Talvez, seja uma brecha para Paulo Henrique Ganso ter uma oportunidade na próxima lista, desde que mantenha a regularidade no São Paulo. Philippe Coutinho também merece mais chances.

Ainda é cedo para dizer que a Seleção tem a cara de Dunga, mas a proposta de jogo lembra muito o estilo da primeira passagem dele pelo cargo. Marcação recuada — às vezes até demais, abdicando do jogo — aposta dos contra-ataques e investimento pesado nos lances de bola parada. Em um deles, muito bem ensaiado, por sinal, saiu o gol da vitória de ontem. Em uma cobrança de falta, Oscar rolou a bola para Neymar. De perna canhota, o capitão e camisa 10 acionou Willian. O meia saiu na cara do gol e tocou na saída de Domínguez para decretar a segunda vitória da nova era Dunga. Foi só.

 

 

Próximos amistosos
11/10 - Brasil
x Argentina (China)
14/10 - Brasil x Japâo
12/11 - Brasil x Turquia
18/11 - adversário a definir



FICHA TÉCNICA

Brasil 1

Jefferson; Danilo (Gil), Miranda, Marquinhos e Filipe Luis; Luis Gustavo (Fernandinho) e Ramires (Elias); Oscar (Éverton Ribeiro), Willian (Ricardo Goulart) e Neymar; Diego Tardelli (Philippe Coutinho)
Técnico: Dunga

Equador 0
Domínguez; Paredes, Cangá, Erazo e Ayoví; Ibarra (Martínez), Noboa, Castillo e Sornoza (Rojas); Cazares (Angulo) e Enner Valencia
Técnico: Sixto Vizuete

Gol: Willian, aos 30 minutos do primeiro tempo

Cartão amarelo: Erazo
Público e renda: não divulgados
Árbitro:
Edvin Surisevic (EUA)