COLUNA DO JAECI

Que venha a quinta Copa do Brasil e com um belo jogo

O Cruzeiro sabe de sua força, do que sua torcida será capaz esta noite e o que esperar de seus jogadores

postado em 27/09/2017 12:00 / atualizado em 27/09/2017 10:12

EM DA PRESS

Um time do mundo. Campeoníssimo ao extremo, com quatro brasileiros, duas Libertadores e quatro Copas do Brasil. Já há um cantinho na sala de troféus do Cruzeiro esperando a quinta conquista da competição nacional, para se igualar ao Grêmio. Não que haja excesso de confiança ou coisa parecida. Longe disso. Porém, o Cruzeiro sabe de sua força, do que sua torcida será capaz esta noite e o que esperar de seus jogadores. Confesso que a imagem que tenho de Thiago Neves ainda é aquela de 2008, quando fez os três gols da vitória do Fluminense por 3 a 1 sobre a LDU, que levou a decisão para as penalidades. Ali, Thiago Neves, Whashinton e Conca perderam suas cobranças e o time equatoriano foi campeão da Libertadores, em pleno Maracanã. Espero vê-lo repetir aqueles fantásticos 90 minutos, e que não haja a menor necessidade das cobranças de pênaltis. E por que elejo Thiago Neves? Porque ele é o craque do time, a cereja do bolo que, até aqui, ainda não mostrou seu real valor. Boas partidas, outras ruins, e nada mais. Talvez esteja guardando para esta noite a sua atuação de gala.

Há um ditado na Gávea que diz o seguinte: “Não deixem o Flamengo chegar, pois, se isso acontecer, o título é certo”. Realmente funcionava assim na época de Zico, Júnior, Adílio e cia. Hoje não é bem assim... Vejo as duas equipes muito iguais, tanto que o empate no jogo de ida traduziu exatamente o que elas representam. É fato que não existe nenhum craque atuando em território nacional. Aliás, nosso único fora de série joga no PSG e chama-se Neymar. Por esse lado do Atlântico, o que vemos é um futebol de pancadas e botinadas, pouca criatividade, muita marcação e arbitragens catastróficas. Espero que, pelo menos na final, Cruzeiro e Flamengo me desmintam e façam um jogo de tirar o fôlego. Por que não um 5 a 4, como nos velhos e bons tempos? Um placar assim poderia representar muito para a garotada que está chegando aí. Para dizer que o nosso futebol ainda tem jeito, desde que os clubes voltem a investir com seriedade nas divisões de base.

Serão mais de 60 mil vozes a apoiar o Cruzeiro e cerca de 5 mil rubro-negros no Gigante da Pampulha. Nesse palco, vi o Cruzeiro ganhar a Tríplice Coroa, o tetracampeonato brasileiro e o bi da Libertadores. Vi também a derrota doída para o Estudiantes, na Libertadores de 2009. Coisas do futebol. Desde que o espetáculo seja limpo, sem armações ou erros crassos do árbitro, está valendo. Será a hora de vermos De Arrascaeta, o jovem talentoso que pode desequilibrar, além do garoto Raniel, cheio de moral, que já mostrou não ter medo de decisão. De um lado, o técnico Mano Menezes, competente, sereno nas entrevistas, uma fera no túnel. Do outro, o colombiano Reinaldo Rueda, dono da última Libertadores. Um técnico de profundo conhecimento tático. Não há como não imaginar um grande jogo. São duas das maiores equipes do país. Dois presidentes dos mais sérios e corretos que já conheci, Gilvan de Pinho Tavares e Eduardo Bandeira de Melo, e dois dos times mais vencedores da história. Espero que esses ingredientes movam as duas equipes para um grande futebol. Somente um levantará o troféu, mas se for uma partida limpa, bem disputada, com qualidade e lances bonitos, não tenham dúvida de que vencedor e perdedor terão cumprido sua missão. O futebol, em sua essência, só tem sentido se for disputado no fair play, na lisura, na bola na rede. O resto não tem importância. E, como as duas torcidas são unidas, a paz estará garantida. Bom jogo, torcedor. O Mineirão é de vocês e o belíssimo gramado está pronto para que os artistas da bola façam um grande espetáculo.

Mais um para a coleção

Ontem, este colunista, que tem o sangue de repórter nas veias, deu mais um furo para sua grande coleção. Aqui no Superesportes, no blogs.uai.com.br/alterosanoataque e nas minhas redes sociais, antecipando a contratação de Oswaldo de Oliveira pelo Atlético e mostrando, com exclusividade, que o contrato será até dezembro e que na próxima temporada ele pode virar diretor de futebol. É sempre um orgulho sair na frente e ocupar este espaço com notícias exclusivas. Aqui no Estado de Minas são 26 anos nessa toada e, a cada dia, me sinto mais renovado e motivado. Tudo o que tenho, devo a esta casa.

Vergonha

Num momento em que o país vive dias de guerra, com mais de mil mortos por crimes, em uma semana uma novela promove um traficante e uma traficante como ídolos. Isso é uma vergonha. Por isso o Brasil está na contramão da história. Tornar protagonistas dois traficantes é mesmo para acabar com a nação.

Tags: final copadobrasil flamengorj cruzeiroec