BOLADAS E BOTINADAS

Tem coisa que a gente vê...

Não adianta contratar um técnico com ideias modernas para um grupo de jogadores contaminados por ideias antigas

postado em 27/04/2019 09:00 / atualizado em 27/04/2019 09:05

Parece que não querem enxergar. O Atlético perde seu treinador e, ao invés de buscar outro sem alarde, anuncia, ou vaza a notícia de que iria buscar um substituto que estivesse empregado. Ou seja, irritou todo mundo e pagou mico ao não ter suas propostas aceitas. Foi muita arrogância. Depois ficou tentando o Rogério Ceni como se ele fosse o único treinador no mundo. Gastou tempo e conversa. Valorizou o profissional que segue no Fortaleza e ainda se indispôs com o clube. Isso não é a melhor maneira de solucionar o problema. 

PERFIL


E o clube anuncia que sonha com um treinador jovem, moderno, bem informado e coisa e tal. Mas não adianta contratar um técnico com ideias modernas para um grupo de jogadores contaminados por ideias antigas, ultrapassadas. Mais dia menos dia eles derrubam o cara. O problema do Atlético não está apenas dentro de campo. Ocorre desde o tal Conselho Deliberativo que, assim como o time, não se mexe, não mostra, não decide. Há uma acomodação. Basta lembrar o que ocorreu na última eleição. A inércia, a postura indolente impregnou o clube nos últimos tempos. Culpar quem está no poder é fácil, mas e os outros, e a turma que bate palma para tudo, e a turma que sufoca quem tenta fiscalizar?

REALIDADE


O retrato do Atlético atual foi mostrado na decisão do Campeonato Mineiro. Depois do gol do Fred, os cruzeirenses, com toda razão, foram comemorar. Não se sabe por qual motivo, o Patric estava ali por perto. Foi acertado pelo Thiago Neves com uma cotovelada na cara, e nem se tocou. Nem reclamou, nem se indignou. Isso dentro do Independência, com sua torcida em maior número. Patric ali representou o espírito atual do Galo. Um time sem reação, até sem raiva. Um time manso.

COMO FICA?


Entra ano sai ano e o Atlético queima treinadores. Interessante é que os chamados líderes do elenco seguem no clube. Não teriam eles falhado assim como a comissão técnica? Até quando irão liderar vexames? É bom lembrar que o Atlético se classificou em primeiro lugar para a fase final do Estadual porque jogou com o time reserva. Talvez inferior tecnicamente, mas com vontade, com gente que teve fôlego para competir. Já a turma titular segue muito mal. Quem ouviu a entrevista do Leonardo Silva depois do jogo contra o Nacional, percebeu a mentalidade de parte do elenco. Segundo ele, os tropeços são apenas uma tempestadezinha. Vejamos se no Brasileirão o time muda pelo menos para o módulo garoa.

ELE


Sempre disse que Cazares está longe de ser o ídolo que alguns esperam. É um bom jogador, mas sem muita vontade. Se ganhar bem, se perder, bem também. Mas chama atenção o comportamento dele extra-campo, e o clube precisa se explicar. Vejam bem. Bebezão veio caro e caiu na farra; Jô fez gols e depois caiu na esbórnia. Interessante é que, depois de saírem do Galo, eles recuperam a melhor forma e se destacam em outros clubes. Será que falta uma cobrança maior? 

QUEM?


É certo que o Atlético paga, hoje, pela postura de dirigentes que entregaram as cartegorias de base a quem não fez um bom trabalho. Foram anos e anos fabricando foguetes molhados. Uma estrutura fantástica, com resultados pífios. Mas quem manteve a estrutura anterior deveria se explicar. Afinal, o clube hoje tem que contratar jovens valores se quiser negociá-los. Fala mal do Alexandre Gallo, mas quanto o Atlético ganhou na venda do Douglas Santos? Quanto ganhou ao negociar o Emerson? E ainda pegou um bom dinheiro com a saída do Roger Guedes. Então o diretor não foi tão mal assim. O problema é que tentaram fazer do Atlético um balcão de negócios.  

VERDADE


Não se monta uma equipe vencedora sem que o treinador tenha voz de comando sobre o elenco. Se tiver que dividir a responsabilidade com os tais líderes, vai durar pouco. 

DIFERENTE


Geuvânio chegou outro dia mesmo, nem pode jogar a Libertadores. Mas seu discurso foi muito mais correto que o do Leonardo Silva. Quem não quiser ajudar, que caia fora.

Tags: atleticomg seriea nacional