Esportes
2

Futebol

Supercomputador dá favoritismo à França para a Copa no Catar

Entenda qual foi o processo que um supercomputador utilizou para fazer uma previsão precisa do grande ganhador da Copa no Catar de 2022

postado em 09/09/2022 11:01 / atualizado em 09/09/2022 14:13

(Foto: Pexels/Pixabay)

 
A Copa do Mundo está chegando e a ansiedade dos torcedores só aumenta, este que é o evento esportivo mais importante do mundo move multidões a cada quatro anos, e esta multidão está sempre se perguntando: qual será a seleção que vencerá nesta edição?

Esta é a pergunta de um milhão, afinal mesmo com os favoritos sendo cotados, a Copa do Mundo é uma competição que exige muito emocionalmente do jogador e por isso os resultados podem ser bem inesperados. Para ter um ponto de partida mais exato, algumas pessoas utilizaram um supercomputador para calcular as chances de cada país na Copa do Catar em 2022 e tiveram um resultado bem interessante.

A França foi considerada a principal favorita pelo computador, eu sei, parece meio óbvio, já que esta seleção é a vencedora da última edição e é a líder em palpites copa do mundo. Mas, vamos então neste artigo analisar melhor o processo utilizado pelo supercomputador e falar sobre a possibilidade destes resultados realmente acontecerem. 

Processo utilizado e resultados do supercomputador


As redes sociais, fóruns e programas esportivos iniciaram as discussões sobre os possíveis favoritos para a Copa do Mundo no Catar em novembro e, a notícia de que um supercomputador poderia fazer um processo que poderia calcular as chances de cada uma das seleções a alcançar a tão sonhada taça da copa aumentou ainda mais as discussões.

De acordo com os dirigentes da experiência, o supercomputador pode fazer diversas simulações de possíveis cenários em tempo recorde, bastava inserir alguns dados delicados sobre cada uma das seleções para que a máquina levasse em conta enquanto fazia as suas simulações a procura de uma porcentagem que simbolize a probabilidade de cada uma das seleções vencer.

Foram mais de 1000 simulações feitas pelo supercomputador, observando cada um dos cenários com pequenas mudanças prováveis em concordância com os dados inseridos. O responsável pelas simulações é um algoritmo complexo que tem a função de simular diferentes cenários com os dados que lhe fornecem com a maior verossimilhança possível.

No fim, o supercomputador entregou alguns resultados bem interessantes, o principal era que a Seleção da França era a grande favorita para o título, pois tinha uma maior probabilidade calculada de vencer seus jogos, até mesmo a grande final. 

Mas, o supercomputador também produziu uma lista com todas as seleções e suas porcentagens de vencer na competição, confira só:

  • França – 17.93%
  • Brasil – 15.73%
  • Espanha – 11.53%
  • Inglaterra – 8.03%
  • Bélgica – 7.90%
  • Holanda – 7.70%
  • Alemanha – 7.21%
  • Argentina – 6.45%
  • Portugal – 5.11%
  • Croácia – 2.31%
  • Dinamarca – 2.03%
  • Uruguai – 1.48%
  • Mexico – 1.37%
  • Suíça – 1.00%
  • Polônia – 0.82%
  • Irã – 0.60%
  • Japão – 0.48%
  • EUA – 0.46%
  • País de Gales – 0.41%
  • Catar – 0.35%
  • Coréia do Sul – 0.35%
  • Sérvia – 0.24%
  • Senegal – 0.19%
  • Equador – 0.17%
  • Austrália – 0.02%
  • Gana – 0.02%
  • Canadá – 0.01%
  • Marrocos – 0.01%
  • Tunísia – 0.01%
  • Camarões – 0%
  • Arabia Saudita  – 0%
  • Costa Rica – 0%
 
Os números aqui são bem exatos e, de acordo com os organizadores do experimento, o algoritmo pode prever uma série de cenários com certa precisão, apenas são necessários dados importantes sobre os elementos inseridos nos cenários, como os jogadores, atuações das seleções e resultados nos últimos anos.

Estas previsões podem mesmo se concretizar?


Esta é a grande questão que tem inflamado discussões nas redes sociais, fóruns e programas esportivos. Enquanto de um lado existem aqueles que concordam com as simulações do supercomputador e de sua indicação de que a França será a vencedora, do outro temos aqueles que apontam que um computador não pode calcular alguns aspectos imprevisíveis no futebol que o fazem tão interessante, que fazem com que um time azarão vença um grande favorito.

A França é a detentora do último título, já que venceu uma partida final disputadíssima contra a grande revelação da copa, a Croácia, vencendo por 4x2. Não há o que discutir, a França teve uma atuação de gala na Copa de 2018, com vários grandes embates onde os franceses mostraram a sua superioridade e mereceram o seu segundo título desta competição histórica.

Mas, a atuação da seleção francesa depois do seu título tem sido bem abaixo do que demonstraram em 2018, o que deixa uma pulga atrás da orelha de todos os que estão avaliando as possibilidades neste ano de 2022. 

A decepção mais recente se deu na Liga das Nações da UEFA, onde a seleção francesa teve uma atuação esquecível e acabou sendo eliminada ainda fase de grupos em um jogo que remontou a grande final da copa de 2018 contra a Croácia, e os croatas mostraram que ainda estão jogando em alto nível, pois, derrotaram os franceses por 1x0.

Desde então, a França teve de recolher os cacos e lutar para não ser rebaixada na competição e, mesmo com grandes craques no time, como Benzema e Mbappé, a sua atuação em 2022 ainda é uma dúvida para muitos. 

Mbappé está em boa fase mesmo com diversas polêmicas entre seus companheiros de PSG e Benzema vem de uma temporada impecável em que foi peça-chave para o título de Liga dos Campeões do Real Madrid e considerado o melhor jogador da temporada.

Sabemos como o futebol é um esporte bem imprevisível, podemos ter alguma seleção revelação, como a Croácia em 2018, ou podemos ser agraciados com o futebol brasileiro que vem em segundo lugar de acordo com os cálculos do algoritmo neste supercomputador.

Conclusão


Se o supercomputador está certo ou não, é o que veremos em novembro na Copa do Catar, de qualquer forma esta será uma Copa de altíssimo nível tendo em vista todos os jogadores que atuarão na competição em suas seleções. Com toda a certeza, valerá a pena assistir não só os jogos da sua seleção favorita, mas também os outros jogos para acompanhar o melhor que o futebol mundial tem a oferecer.