América

AMÉRICA

Lisca elogia jovens do América e valoriza vitória em início de temporada

Técnico admitiu primeiro tempo, mas exaltou garotos diante do Boa

postado em 27/02/2021 22:40 / atualizado em 28/02/2021 11:31

(Foto: Alexandre Guzanshe/EM/DAPress)

O técnico Lisca admitiu que o América teve atuação irregular, mas gostou da forma como o time soube encontrar a vitória diante do Boa Esporte, na estreia no Campeonato Mineiro. O treinador valorizou o placar magro de 1 a 0, no Independência, e ressaltou as dificuldades com uma temporada desgastante em 2020, o que o levou a preservar peças importantes. O desempenho de jovens como Gustavinho e Carlos Alberto, titulares na noite deste sábado, foi motivo de elogios do comandante. 

Lisca considera que a vitória precisa ser exaltada justamente pelo fato de o time estar bem aquém das condições físicas e até técnicas neste começo de temporada. Ele lembrou que, depois da Série B, em que o América garantiu o acesso à elite, precisou dar um período de folga para o descanso de jogadores importantes como o goleiro Matheus Cavichioli, o zagueiro Messias, o lateral-esquerdo João Paulo, o meia-atacante Alê, além dos atacantes Rodolfo e Ademir.

"Foi uma vitória importantíssima, estreia depois de uma parada é sempre complicado. Tivemos um ano atípico, uma pré-temporada totalmente atípica, liberamos alguns jogadores, terminamos a Série B, liberamos outros, voltamos, e a maioria dos que atuaram mais não têm nem duas semanas de treinamentos. Nós perdemos o Felipe (Azevedo) e o Geovane até por essa questão, então temos que mensurar bem a carga, não está fácil, por isso valorizamos demais essa vitória", destacou o comandante. 

Lisca deu oportunidade a jovens oriundos da base como Lucas Luan, que atuou na lateral esquerda, além dos armadores Carlos Alberto e Gustavinho. Os dois últimos, inclusive, mereceram elogios do treinador. "A atuação dos meninos, eu gostei bastante da entrega. Foi o primeiro jogo da história profissional do Gustavinho e do Carlos (Alberto) e como titulares. O Gustavinho já mais desenvolto, fazendo bem as funções", avaliou.



TEMPOS DISTINTOS


O treinador reconheceu que o time deixou a desejar no primeiro tempo. Mas, com alguns titulares em campo, segundo ele, o América foi outro na etapa final e chegou à vitória. Lisca também deu os méritos ao comandante do Boa Esporte, Ariel Mamede, que soube modificar panoramas táticos durante a partida e dificultou muito para o Coelho. 

"No primeiro tempo nós não conseguimos atuar bem, em todos os sentidos. Principalmente no aspecto coletivo, e isso dificulta muito a parte individual do jogador. Não conseguimos neutralizar muito o Boa e demos alguns espaços. Não conseguimos agredir quando tínhamos a bola. Então, não foi um primeiro tempo dentro daquilo que planejamos", analisou.

"Mas no segundo tempo conseguimos encaixar melhor a marcação. A entrada do João (Paulo) e do Alê deu qualidade diferente, tanto que os dois, junto com o Gustavinho, fizeram um lindo gol. Depois continuamos bem na partida, poderíamos ter ampliado, cansamos um pouco e o treinador do Boa fez boas trocas. Ele variou bastante, mudou jogadores de posição e nos obrigou a baixar novamente o bloco. Voltamos ao nosso padrão normal com a entrada do Zé (Ricardo), para sustentarmos essa vitória e gostei. Gostei do segundo tempo, da reação da equipe, muito porque ainda estamos no início de trabalho e reformulação", comentou. 

Tags: américa coelho interiormg boa esporte lisca mineiro2021