Atlético

ESPORTE NA TV

Comentaristas de arbitragem têm opiniões distintas sobre lance polêmico no empate do Atlético com o Palmeiras

Sandro Meira Ricci diz que árbitro Rafael Traci errou; Sálvio Spinola e Paulo César de Oliveira não marcariam pênalti para o Atlético

postado em 07/10/2019 18:06

<i>(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)</i>

empate entre Atlético e Palmeiras, nesse domingo, no Allianz Parque, pelo Campeonato Brasileiro, ficou marcado por muita reclamação da equipe alvinegra. O técnico Rodrigo Santana e os jogadores cobraram do árbitro Rafael Traci a marcação de um pênalti de Felipe Melo em Igor Rabello, ainda no primeiro tempo, quando o placar apontava 0 a 0. O Galo saiu na frente no duelo pela 23ª rodada da Série A, mas cedeu o empate nos minutos finais.

O lance da reclamação aconteceu aos 18 minutos do primeiro tempo. Otero cobrou falta e Felipe Melo colocou as duas mãos nas costas de Igor Rabello, que caiu dentro da área. Rafael Traci não marcou nada e não foi chamado pelo VAR para rever o lance.

A disputa na área do Palmeiras foi tema de discussão no programa Seleção Sportv desta segunda-feira. Comentaristas de arbitragem do canal divergiram sobre o lance. Para Sandro Meira Ricci, Rafael Traci errou ao não dar o pênalti para o Atlético.

“Eu não fiz esse jogo. Eu analisei como pênalti. Na minha opinião, por mais bobo que tenha sido, o Felipe Melo faz um movimento com o braço, e esse movimento é de empurrar. A bola estaria em disputa. O impacto tático, de o Felipe Melo tirar sutilmente o Igor Rabello da jogada, para mim, caracteriza a penalidade. E o Traci não estava olhando para o lance”, disse.

A opinião do ex-árbitro é diferente dos companheiros. Sálvio Spinola disse que a decisão de Traci foi a correta e criticou os jogadores do futebol brasileiro.

“O VAR trouxe jogadores como o Igor Rabello. Com um leve toque nas costas, ele fala ‘já que tem o VAR, eu vou aumentar a minha queda para proporcionar o VAR’. Eu não marcaria esse pênalti. O Felipe Melo tem um contato de querer referência, um contato com o adversário. Em nenhum momento tem um empurrão no Igor Rabello”.

Paulo Cesar de Oliveira foi o comentarista da partida na TV Globo. Durante o jogo, o ex-árbitro disse que não marcaria o pênalti. No programa desta segunda-feira, ele manteve o posicionamento.

“Eu fiz esse jogo. Na câmera-lenta, com a Lupa, mostra o contato. Em velocidade normal, eu não marcaria o pênalti”.

Reclamações

O lance gerou reclamações do Atlético. O zagueiro Igor Rabello, envolvido no lance, criticou o árbitro Rafael Traci. Para o defensor alvinegro, o dono do apito deveria ter checado o lance na cabine do VAR.

“Todo mundo já conhece o Felipe Melo. Vai fazer isso toda hora. Vai dizer que não foi. Eu já conheço o Felipe Melo. Fora do campo nos falamos muito bem. Aquilo eu já conheço ele. Fazendo ou não a falta ele ia fazer aquela cena toda dele. Mas é aquilo: o fato todo mundo viu na câmera. Teve o empurrão. Não cavei nada. Teve o empurrão com as duas mãos dele. O árbitro deveria pelo menos olhar no VAR para ver se tinha certeza do que aconteceu”.

A opinião é a mesma de Rodrigo Santana, que reclamou da falta de critério na avaliação do lance
. “Isso que a gente não consegue entender. A gente sabe que toda vez que a bola para tem que seguir o protocolo. Então, se o árbitro não viu, o VAR consulta e espera a bola sair para analisar o lance. Por que não analisou? Por que foi para o Atlético? O Atlético está fora de casa, não está com situação boa... Não sei se, de repente, outro clube que está brigando pelo título o VAR seria consultado. Mas foi injusto. Se tem VAR para um lado, tem que ter para o outro. Mais uma vez o Atlético foi prejudicado. A TV mostrou o empurrão com os dois braços. Poderia ser outro resultado”.

Tags: palmeirassp palmeiras atleticomg seriea interiormg galo atlético