Atlético

COLUNA DO JAECI

Cruzeiro, nas páginas policiais, enfrenta o Galo na primeira decisão

Desta vez, ao contrário das anteriores, não vou apontar favorito. Não por ser clássico, pois essa frase feita não me pega, e sim porque, com a parada da Copa América, não sei em que estágio as equipes voltarão

postado em 11/07/2019 09:04 / atualizado em 11/07/2019 09:12

<i>(Foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)</i>
 Envolvido em sérios problemas políticos, suspeita de corrupção, com seus dirigentes frequentando as páginas policiais, o Cruzeiro entra em campo nesta noite, no Mineirão, para enfrentar o Atlético. A disputa vale vaga na semifinal da Copa do Brasil e a rivalidade está cada vez mais aflorada. Não me venham dizer que a crise não afeta os jogadores, porque é mentira. Claro que afeta. Não se pode dissociar os problemas do clube do grupo que entra em campo. O torcedor está envergonhado. Um clube de tantas vitórias, taças e conquistas, que jamais frequentou páginas policiais, corre o risco de perder pontos no Brasileiro e, caso a Fifa e a CBF sejam rigorosas, até de rebaixamento. Já escrevi e disse no Blog do Jaeci que os dirigentes acusados deveriam se afastar para se defender com mais tranquilidade. Ninguém é culpado até que se prove o contrário. Acho que o clube deveria escolher uma espécie de interventor para geri-lo até que os fatos sejam apurados e os acusados, inocentados ou declarados culpados. Se forem inocentados, que voltem a comandar o clube. Simples assim.

Sem tomar conhecimento do adversário, o Atlético se prepara para o primeiro duelo na casa do Cruzeiro, o Mineirão, para provar ao seu torcedor que a boa fase no Brasileirão antes da parada para a Copa América vai continuar. O Galo é uma grata surpresa, na parte de cima da tabela e, embora seja a Copa do Brasil uma competição diferente, em formato mata-mata, o time alvinegro quer avançar, abocanhar mais uma boa quantia em dinheiro e, é claro, chegar à semifinal. Desde o começo do ano eu digo que o Atlético é igual a pelo menos 15 equipes do futebol brasileiro. Pus Flamengo, Grêmio, Palmeiras e Cruzeiro acima dele. Porém, o time azul em nenhum momento confirma essa expectativa. Ao contrário, está no Z-4 e com problemas graves e sérios para resolver. Pode ter mais time no papel, mas se não põe a bola na casinha, nada feito. Mano Menezes, que é honesto e bom treinador, gosta do futebol praticado no Sul, com retranca e marcação forte. Uma característica que nunca foi a marca do time azul. Como ganhou duas Copas do Brasil, o torcedor tem aceitado, mas nessa temporada reclamado bastante.

O nível da Copa América, vencida pelo Brasil domingo, mostrou que o futebol por estas bandas anda carente e deficiente. Nem mesmo o campeão foi capaz de produzir um futebol que nos encantasse. Somente parte da imprensa “baba-ovo” do Tite achou tudo lindo e mascarou os erros. Uma equipe que empata com Venezuela e Paraguai e que teve dificuldades contra a Bolívia no primeiro tempo não pode ser tachada de grande time. Porém, é o que temos por aqui. Eu não me contento somente com isso. Gosto da arte, do gol. Sei que a juventude acha que o que vale é ganhar, ainda que de forma feia. Minha geração, que se acostumou com os olhos, jamais irá aceitar a remela. Vimos os grandes times e os grandes craques. Sei que o futebol moderno é isso que estamos vendo. A bola rolando 50 minutos, pancadas para todos os lados e uma falta de criatividade que dá dó. Que Atlético e Cruzeiro contrariem tudo isso e que possam, nos dois jogos, dar um espetáculo melhor. A única vantagem é que um dos dois estará representando o estado numa semifinal, com chances de voltarmos a fazer uma final da competição. Que vença aquele que procurar o gol, que jogar bonito, que privilegiar a arte. Em tempos sombrios na política e no futebol, é preciso alguma coisa que nos tire dessa inércia. E desta vez, ao contrário das anteriores, não vou apontar favorito. Não por ser clássico, pois essa frase feita não me pega, e sim porque, com a parada da Copa América, não sei em que estágio as duas equipes voltarão. Bom jogo, torcedor, na paz, por favor. Lembrem-se de que é apenas uma partida de futebol, “a coisa mais importante, entre as menos importantes da vida”.

Tags: cruzeiroec atleticomg copadobrasil interiormg