Atlético

ATLÉTICO

Jogadores passam de opções a peças-chave para esquema de Roger no Atlético

Danilo, Maicosuel e Rafael Moura se destacam no início de temporada

postado em 15/02/2017 11:00

Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press

Em início de temporada, um trabalho pode começar do zero. É o caso do Atlético sob o comando de Roger Machado. Na busca pela equipe ideal, o treinador avisou que não existem titulares ou reservas no grupo. “Quem estiver em melhor momento terá chance para atuar”, costuma dizer o treinador. Desta forma, ele abre as portas para os jogadores que não projetavam ter oportunidade de atuar com frequência, casos do lateral-esquerdo e volante Danilo, do também volante Ralph e dos atacantes Maicosuel e Rafael Moura. Longe de estar entre os mais badalados, o quarteto se destacou nos primeiros cinco jogos de 2016 e ganha prestígio com a comissão técnica.

Devido à característica de preencher o espaço no meio-campo e chegar com força ao ataque, Danilo foi o que mais impressionou Roger até o momento. Além de marcar três gols, o jogador se transformou em peça-chave no novo esquema tático da equipe, o 4-1-4-1, o mesmo usado por Tite na Seleção Brasileira. O novato vem também fazendo parceria com Fábio Santos pelo lado esquerdo.

Natural de Coronel Fabriciano, Danilo brinca que o começo no Galo foi no bom estilo mineiro. “Cheguei muito calado e respeitando os companheiros, sabendo aproveitar as chances. Entendo que todos querem jogar, mas o time só tem 11 e um tem que respeitar o outro. É isso que nosso grupo está fazendo. Por isso as coisas estão saindo bem”. Danilo iniciou o ano com possibilidade remota de ser titular, já que Fábio Santos seria o dono natural da posição. Mas as coisas mudaram depois do jogo contra o Tombense – goleada por 3 a 0, em Muriaé, com dois gols e uma assistência. A partir dali, não saiu mais do time.

Ralph não começou um jogo, mas teve chance de atuar alguns minutos na derrota para o Cruzeiro (1 a 0), pela Primeira Liga, e contra o Tombense. O volante prata da casa adota discurso de humildade. “Estou aqui para aprender com os mais experientes”, afirma. Rafael Carioca, titular na posição, elogia o colega, de 19 anos: “O Ralph é novo e tem personalidade. É um jogador mais leve e gosta mais de sair e jogar por trás. Acredito que tem muito a crescer”.

Com tantas peças de qualidade no time alvinegro, Maicosuel começou 2017 longe dos holofotes. Mas bastou a grande atuação na goleada contra o Uberlândia por 3 a 0, no Independência, pelo Campeonato Mineiro, para que o atacante voltasse aos planos de Roger Machado. “A gente entra para mudar o ritmo de um jogo. O Roger sabe o que pode fazer de acordo com as características de seus jogadores. O Uberlândia dificultava e precisávamos de um jogador que driblasse, já que a marcação era dura. Pode ajudar na vitória”, afirma o jogador, que participou de dois gols na partida.

COM GOL
Depois de marcar pela primeira vez desde que voltou ao Galo, Rafael Moura está de confiança renovada. Com a venda de Pratto para o São Paulo, o mineiro se tornou o reserva imediato de Fred. Ele não demorou muito tempo para colocar a bola para dentro, algo que fez pelo Figueirense no ano passado – foram 14 gols em 40 jogos. Atleticano declarado, ele vibra com o gol e a possibilidade de atuar mais pela equipe: “O momento chegou. É muito emocionante a forma com que a torcida me recepcionou. Isso só mostra que tenho de batalhar muito para honrar esta camisa”.

Tags: atlético