UAI

2

Hulk marca para Atlético e está a um gol de recorde no novo Mineirão

Atacante do Galo balançou as redes do estádio 30 vezes - uma a menos que o meia Arrascaeta, ex-Cruzeiro e atualmente no Flamengo

19/03/2022 19:12 / atualizado em 19/03/2022 20:04
compartilhe
Hulk marcou o terceiro gol do Atlético na vitória por 3 a 0 sobre a Caldense, no Mineirão, neste sábado
foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press

Hulk marcou o terceiro gol do Atlético na vitória por 3 a 0 sobre a Caldense, no Mineirão, neste sábado

O atacante Hulk fechou a goleada do Atlético por 3 a 0 sobre a Caldense neste sábado, no Mineirão, pela 11ª rodada do Campeonato Mineiro. Com isso, o camisa 7 alvinegro está a um gol de se tornar o artilheiro do estádio desde a reabertura, em 2013.



Hulk marcou 30 gols no novo Mineirão, todos pelo Atlético. O recordista é o meia uruguaio Giorgian De Arrascaeta, com 31 (30 pelo Cruzeiro e um pelo Flamengo, clube que defende atualmente).

Porém, antes dos grandes momentos, Hulk viveu um "pesadelo" no Mineirão. O atacante atleticano jogou pela Seleção Brasileira na histórica derrota por 7 a 1 para a Alemanha, na semifinal da Copa do Mundo de 2014, justamente no Gigante da Pampulha.

"É o que sempre falo: o futebol proporciona momentos especiais para a gente. Às vezes, a gente é pouco feliz, às vezes a gente é mais feliz, às vezes a gente é infeliz em alguns lances e sai chateado. A gente tem que estar sempre preparado para dar a volta por cima", iniciou, em entrevista ao Premiere.

"Eu vivi uma situação aqui (no Mineirão) que fica marcada para sempre, que foi na Copa do Mundo, o 7 a 1, infelizmente. A gente tinha tudo para ser campeão, tinha ganhado a Copa das Confederações com o mesmo time, viemos muito confiantes para a Copa do Mundo. Infelizmente, aconteceu aquilo de a gente perder em casa daquela maneira", prosseguiu.

Volta ao Mineirão

Depois daquela fatídica partida, o atacante ficou seis anos e meio sem atuar no Mineirão. Voltou ao estádio no início de 2021, quando foi contratado pelo Atlético. Daí em diante, viveu mais momentos de alegria do que de tristeza no local. No ano passado, o estádio foi fundamental nas conquistas do Campeonato Mineiro, do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil.

"Pelo que me lembro, voltei a jogar no Mineirão só pelo Atlético, acho que não voltei a jogar pela Seleção. Poder voltar, num começo com adaptação por estar voltando ao Brasil, para mim era tudo novo. Apesar da experiência, a gente encontra novidades e a gente precisa se adequar. Graças a Deus, eu fui muito bem recebido pelo Mineirão, por essa torcida maravilhosa do Galo, por este clube que me ajuda para caramba", continuou

"Então, é muito gratificante poder entrar em campo e dar alegria a esses torcedores e poder chegar a essa marca aqui. É claro que o mais importante é sempre o coletivo, quando a gente ganha campeonatos importantes, como ganhamos no ano passado - e vamos pedir a Deus para ganhar este ano também. Mas quando a gente atinge alguns números individuais, temos que agradecer a Deus e continuar trabalhando”, completou.

Atlético x Caldense: veja fotos do jogo do Mineiro


Compartilhe