Bahia

CRUZEIRO

Críticas da torcida, elogios da comissão técnica e prova de fogo em final: a passagem de Ezequiel pelo Cruzeiro

De saída do clube celeste, lateral-direito nunca foi unanimidade entre os cruzeirenses, mas contou com apoio de Mano Menezes e seus assistentes

postado em 30/12/2018 06:30 / atualizado em 29/12/2018 22:38

Vinnicius Silva/Cruzeiro
O Cruzeiro deve oficializar nos próximos dias a rescisão de contrato com Ezequiel, cujo vínculo iria até julho de 2019. Em dois anos e cinco meses no clube, o lateral-direito contratado ao Criciúma disputou 72 jogos (60 como titular) e marcou um gol. Por vezes, Mano Menezes preferiu apostar na improvisação do volante argentino Lucas Romero a escalar o camisa 2 diante de uma eventual ausência do titular Edilson. E os torcedores cruzeirenses, tanto nas arquibancadas quanto nas redes sociais, nunca se entusiasmaram com o rendimento do atleta.

A saída de Ezequiel já havia sido indicada pela diretoria do Cruzeiro no início de novembro. Inicialmente, cogitava-se um empréstimo em 2019, mas os planos mudaram. Agora, o rompimento contratual deixará o lateral livre para assinar com outro clube. O Fluminense, segundo o vice-presidente de futebol Itair Machado, é um dos interessados. O Bahia também manifestou o desejo de contar com Ezequiel, assim como o Fortaleza, recém-promovido à elite nacional após conquistar a Série B do Campeonato Brasileiro.

De acordo com Itair Machado, a possível contratação de Ezequiel pelo Fluminense é negócio paralelo à iminente chegada do volante Jadson ao Cruzeiro. O meio-campista tricolor irá para a Toca da Raposa 2 em troca de Bruno Silva, que seguirá rumo às Laranjeiras, no Rio de Janeiro. “Nós estamos rescindindo o contrato do Ezequiel e, por acaso, ele recebeu proposta do Fluminense. Tem também uma oferta do Bahia. Mas essa é uma situação que também não tem relação com a troca envolvendo o Bruno Silva e o Jadson”.

Mesmo não tendo sido unanimidade no Cruzeiro, Ezequiel deixou impressão positiva junto à comissão técnica por causa do bom comportamento profissional e do esforço nos treinamentos. Não à toa integrantes do estafe cruzeirense elogiaram as qualidades do lateral-direito. O técnico Mano Menezes, por exemplo, defendeu o atleta de cobranças externas, mesmo tendo recorrido em diversas circunstâncias a Romero para a função.

“Primeiro, diferentemente de boa parte da imprensa e de alguns torcedores, eu estou feliz com o Ezequiel. Sempre que esteve em campo, ele deu conta. Não tivemos carência, mas ele ficou muito tempo fora (por causa de um problema crônico no púbis). Aí improvisamos o Romero, que também foi bem. A gente sempre soluciona os problemas assim. Não temos nada crônico que a gente não possa resolver”.

Ramon Lisboa/EM D.A Press

Essa declaração de Mano Menezes foi dada no dia 1º de dezembro de 2017, em uma entrevista coletiva na Toca da Raposa II. O Cruzeiro se preparava para enfrentar o Botafogo, fora de casa, pela última rodada do Campeonato Brasileiro. Dois meses e meio antes, Ezequiel foi titular na final da Copa do Brasil, contra o Flamengo. Ele jogou por 90 minutos na ida, no Maracanã (1 a 1, no dia 7 de setembro), e na volta, no Mineirão (0 a 0, em 27 de setembro). Se não subiu tantas vezes ao ataque como o lateral-esquerdo Diogo Barbosa, mostrou firmeza na marcação e conteve os avanços de Everton, meia-atacante rubro-negro. Nas fases anteriores, travou duelos com Pedro Rocha, do Grêmio (semifinal), e Dudu, do Palmeiras (quartas de final).

Sidnei Lobo, que substituiu Mano Menezes na reta final do Brasileiro de 2018 – o treinador se afastou das atividades para tratamento médico –, também elogiou o profissionalismo de Ezequiel ao comentar a atuação do lateral-direito na vitória por 3 a 0 sobre o Vitória, em 21 de novembro, no Mineirão, pela 36ª rodada da elite nacional.

“A gente já está há dois anos trabalhando com ele. Um baita profissional. E a gente tem valorizado ele. A gente sabe da cobrança, ele passou por um problema delicado de lesão. No ano passado a gente tinha Mayke e Fabiano, mas quem jogou foi Ezequiel. Nós fomos campeões da Copa do Brasil com Ezequiel. Ezequiel marcou Pedro Rocha, do Grêmio. Marcou Dudu, do Palmeiras. E nós fomos campeões com Ezequiel”, afirmou Sidnei.

Contra o Vitória, Ezequiel participou da jogada do primeiro gol do Cruzeiro, marcado contra pelo zagueiro Aderllan, e ainda chutou uma bola no travessão. “Ele joga bem na linha de quatro, apoia como poucos e tem uma passagem muito boa. Se vocês verem, ele chegou à linha de fundo no primeiro gol, deu uma bola na trave e outra o goleiro defendeu. Mérito dele”, acrescentou Lobo.

ÚNICO GOL

Ezequiel marcou pela única vez a serviço do Cruzeiro no dia 11 de dezembro de 2016, na vitória por 3 a 2 sobre o Corinthians, no Mineirão, pela última rodada do Campeonato Brasileiro. Aos 12min do segundo tempo, ele recebeu lançamento de Robinho e bateu de primeira. O goleiro Walter ainda desviou a bola, mas não conseguiu evitar o gol. Antes da passagem pela Toca da Raposa, o lateral de 25 anos jogou por Criciúma, clube que o revelou, Oeste-SP e Sporting Braga, de Portugal.

Juarez Rodrigues/EM D.A Press

Tags: fluminenserj bahiaba mercadobola criciumasc interiormg cruzeiro fluminense ezequiel