Botafogo

SANTA CRUZ

Marcelo Mattos afirma que conquista da Série C com Santa Cruz será maior alegria da carreira

Meio-campista já foi campeão brasileiro da Série A pelo Corinthians em 2005 e da Série B com o Botafogo em 2015 e fez sua estreia contra o Imperatriz

postado em 06/06/2019 09:00 / atualizado em 05/06/2019 20:25

<i>(Foto: Jota Santana/Assessoria SCFC)</i>
Multicampeão e nome mais ‘pesado’ do elenco tricolor para a disputa da Série C, o volante Marcelo Mattos vive momento de retomada na carreira. Após mais de dois anos e meio de inatividade, o jogador voltou ao futebol em 2019 jogando quatro minutos pelo Vasco e, depois de encerrar contrato com o Cruzmaltino, foi contratado pelo Tricolor do Arruda. 

Campeão brasileiro pelo Corinthians em 2005, o atleta de 35 anos fez sua estreia pelo time pernambucano na última partida contra o Imperatriz, no Maranhão, em jogo válido pela 6ª rodada da Série C. Competição que fez questão de valorizar e dizer que em caso de acesso, irá considerar um presente para sua luta para retornar aos campos após graves problemas no joelho. 

“2005 foi um momento muito feliz. Eu era muito jovem e fui considerado um dos melhores meio-campistas do Brasil naquela oportunidade. Agora está sendo também, vindo de um momento de dois anos e meio sem jogar futebol, uma luta muito grande nesse período e acho que talvez uma alegria maior do que o título de 2005 vai ser a conquista da Série C pelo Santa Cruz, subindo de divisão. Vai ser o presente que eu vou ganhar depois de toda essa dedicação”, explicou. 

Nome mais pesado

Apesar do seu currículo, não é comum na carreira de Marcelo Mattos chegar a um clube e ser o atleta mais badalado de um elenco. Esta situação, que parece ser inédita, foi minimizada pelo jogador. O volante ainda colocou que pretende contribuir com sua experiência para ajudar o grupo dentro e fora de campo.

“Nome e badalação eu deixo para lá. O importante é a minha experiência, a bagagem que eu adquiri ao longo da minha carreira. O Santa Cruz é um clube que me abriu as portas para eu desenvolver meu trabalho, com bastante tempo que eu terei durante a Série C. Vou procurar ajudar a equipe dentro e fora de campo.”