Cruzeiro

COLUNA JOGO RÁPIDO

Crise no Cruzeiro atinge funcionários

Colaboradores do clube não receberam os salários relativos ao mês de maio

postado em 11/06/2019 14:30 / atualizado em 12/06/2019 08:32

<i>(Foto: Ramon Lisboa/EM D.A Press)</i>

Os reflexos da crise financeira do Cruzeiro estão por todo lado, do déficit de mais de R$ 27.236.795 registrado no balanço da temporada passada ao contrato rompido com a Minas Arena por causa do débito de cerca de R$ 26 milhões. A crise, agora, chega aos funcionários  do clube.

Atraso salarial


Os funcionários do Cruzeiro não receberam os salários relativos ao mês de maio. Há anos, o clube quita os vencimentos com seus colaboradores todo 5º dia útil do mês. Segundo apurou a coluna Jogo Rápido, o Cruzeiro não atrasava o ordenado desses colaboradores havia várias gestões. Era para o dinheiro ter caído na conta na sexta-feira, dia 7. Até esta terça-feira, nada depositado. Em contato com a reportagem, o clube disse que não vai comentar os atrasos.

Chateação


Internamente, existe insatisfação de parte dos funcionários sobre os vencimentos de alguns membros da diretoria do clube. Diferentemente da gestão do presidente Gilvan de Pinho Tavares, o presidente Wagner Pires de Sá remunera alguns diretores com salários até mesmo acima da média do mercado, conforme mostrou reportagem do Fantástico, dando a impressão para muitos de que o clube teria dinheiro em caixa.
 

Caldo da discórdia


Causou repercussão negativa entre os funcionários do clube o fato de o presidente Wagner estar à frente de um convite aos conselheiros para uma noite de caldos no parque esportivo do Barro Preto, na noite desta terça-feira, em apoio à chapa “Força Azul”, que concorrerá ao Conselho Fiscal do clube. A revelação foi feita pelo Superesportes, em matéria nesta segunda. Para muitos, ficou a imagem de que o presidente tem dado mais ênfase à política do clube, deixando em segundo plano o problema salarial dos funcionários. Em relação ao Conselho Fiscal, vale ressaltar que trata-se de um órgão independente, com a missão de fiscalizar as contas e documentos do clube. O Conselho Fiscal anterior renunciou sob alegação de falta de transparência da atual diretoria. 

Tags: cruzeiroec pagamento funcionários dívida