Cruzeiro

CRUZEIRO

Mano explica escolha por Pedro Rocha e analisa vantagem do Cruzeiro nas quartas de final

Titular inesperado fez o primeiro gol e deu a assistência para o segundo

postado em 11/07/2019 23:21 / atualizado em 12/07/2019 08:58

<i>(Foto: Ramon Lisboa/EM/D.A. Press)</i>
 
O técnico Mano Menezes decidiu na atividade de quarta-feira que Pedro Rocha seria o centroavante do Cruzeiro no clássico contra o Atlético, nesta quinta, no Mineirão, pela partida de ida das quartas de final da Copa do Brasil. A escolha funcionou da melhor maneira possível, já que o jogador marcou o primeiro gol celeste, em belo chute de fora da área, e deu assistência para Thiago Neves anotar o segundo. Na etapa complementar, Robinho fez o terceiro e garantiu o triunfo azul por 3 a 0.

Em entrevista depois do jogo, Mano explicou porque optou pelo camisa 32 em vez de Fred, artilheiro do time em 2019, com 16 gols. “Eu, como todas as pessoas que tomam decisões importantes, às vezes acordo às três ou quatro da manhã e fico pensando por uma ou duas horas no que pode ser feito. Às vezes dá certo, outras vezes não (...). Nos treinos da semana, na parte final, tirei o Fred e coloquei o Pedro. Chamei os três jogadores (Fred, Pedro Rocha e Sassá) e disse que passaria isso a eles na quarta-feira. Antes do treino de bola parada ofensiva, falei ao Fred que minha opção seria o Pedro no lugar dele. A vida é essa mesmo, é tentar trabalhar e tomar a decisão correta baseado no que a equipe precisa. Ou ia dar velocidade pelo lado ou na última linha. Optei pela última linha para não mexer na estrutura da equipe. Se tirasse Robinho, ia alterar a estrutura, não seria produtivo”, declarou.

Mano não quis testar Pedro Rocha como centroavante no jogo-treino para “evitar” que o Atlético tomasse conhecimento dessa estratégia. “Se fizesse isso, o adversário se prepararia melhor com os dois centrais (zagueiros). Fomos preparando a condição para funcionar. Você não tem certeza que vai funcionar sempre bem, mas talvez de outra maneira não funciona bem. Às vezes com um centroavante você não consegue criar e nem fazer jogada. Não pelo jogador, mas pela característica. Hoje funcionou bem. Mas em outras oportunidades teremos Fred, que é um grande centroavante. Sassá também está treinando bem. Vamos trabalhando conforme nossas necessidades”.

Com o placar de 3 a 0, o Cruzeiro se classifica à semifinal mesmo se perder o duelo de volta por dois gols de diferença. O Atlético, por sua vez, têm de ganhar por quatro gols para se classificar. Como na Copa do Brasil não existe mais a regra do gol qualificado de visitante, eventual triunfo alvinegro por três tentos de vantagem levará a decisão aos pênaltis. Os rivais se reencontram na quarta-feira, às 19h15, no Independência. Mano Menezes avaliou a vantagem construída no Mineirão e pediu à equipe a mesma atitude na próxima semana.

“A vitória é exatamente do tamanho que é. Não podemos desconsiderá-la, está 3 a 0. Mas sabemos que perdemos um primeiro jogo de final para o próprio Atlético, por 3 a 1, e viramos aqui. Em 12 minutos daquele jogo, tomamos três gols no fim do primeiro tempo. O futebol te ensina que a entender que você não pode se sentar em cima de uma vantagem contra um adversário tão grande que é o Atlético. Precisamos ir lá e repetir o que fizemos aqui. Se isso acontecer, temos grande chance de passar à semifinal”.



Tags: cruzeiroec seriea futnacional interiormg copadobrasil