Cruzeiro

CRUZEIRO

Edilson admite surpresa por rescisão, mas deseja sorte ao Cruzeiro: 'Força da camisa vai superar adversidades'

Por decisão da nova diretoria, lateral-direito deixou o clube nesta sexta

postado em 05/06/2020 14:13

(Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro)
Depois de ter o contrato rescindido pelo Cruzeiro, o lateral-direito Edilson foi ao Instagram para se despedir dos torcedores. Em longa mensagem, ele admitiu ter ficado surpreso com a decisão tomada pelo novo presidente, Sérgio Santos Rodrigues. Apesar disso, garantiu que foi tratado com ‘elegância’ e ‘respeito’ pelos novos gestores da Raposa. 

Não posso dizer que não fiquei surpreso com a decisão da diretoria do Cruzeiro. Desde o início do ano tenho feito todos os esforços para colaborar com o momento do clube e cheguei a reduzir meus vencimentos de maneira significativa. Também não foi a maneira que imaginei sair daqui. Um lugar que me recebeu muito bem e onde fui vitorioso conquistando uma Copa do Brasil e dois Estaduais”, escreveu.

“Fica meu lamento pelo projeto não ter sido concluído da maneira imaginada. Mas com muito orgulho de ter jogado no Cruzeiro Esporte Clube. A nova diretoria do Cruzeiro foi transparente e me tratou de maneira objetiva, elegante e respeitosa. Deixo claro também que desejo toda a sorte do mundo à essas pessoas que hoje comandam uma das maiores agremiações do país”, complementou.

Em sua mensagem de despedida, o lateral-direito, que deixa o clube ao lado de Robinho, também mostrou otimismo em relação ao ano do Cruzeiro. “Estava com o objetivo de fazer o Cruzeiro voltar para o seu lugar, a primeira divisão do Brasileiro. Será um ano difícil, mas tenho certeza de que a força dessa camisa irá superar as adversidades”, finalizou. Leia a mensagem de Edilson na íntegra ao fim desta reportagem.

Robinho e Edilson faziam parte do grupo de jogadores que tinham remunerações acima do “teto” de R$ 150 mil estipulado pelo conselho gestor no início da temporada. Assim como o goleiro Fábio, o zagueiro Leo e o volante Ariel Cabral, eles aceitaram receber dentro dos limites orçamentários do Cruzeiro, com a diferença sendo parcelada a partir de abril de 2021. Com salário de R$ 500 mil, o lateral-direito tinha contrato com a Raposa até dezembro de 2020.

Edilson foi contratado ao Grêmio, no início de 2018, em negociação que envolveu os meias Alisson e Thonny Anderson. O lateral, contudo, não conseguiu cair nas graças dos torcedores. Apesar de ter se sagrado campeão da Copa do Brasil, em 2018, e do Campeonato Mineiro, em 2018 e 2019, ele alternou bons e maus momentos, sendo por várias vezes substituído em sua posição pelo volante Lucas Romero. Com a camisa celeste, anotou três gols em 75 jogos.

No Campeonato Brasileiro de 2019, Robinho e Edilson ficaram marcados pela péssima campanha que decretou o inédito rebaixamento celeste à segunda divisão. O Cruzeiro terminou o Campeonato Brasileiro em 17º lugar, com 36 pontos (sete vitórias, 15 empates e 16 derrotas), e encerrou um ano manchado por suspeitas de corrupção na administração do ex-presidente Wagner Pires de Sá. De acordo com o balanço financeiro divulgado pelo clube, foi contabilizado um déficit de R$ 394 milhões na temporada passada.



Mensagem de despedida publicada por Edilson:

Não posso dizer que não fiquei surpreso com a decisão da diretoria do Cruzeiro. Desde o início do ano tenho feito todos os esforços para colaborar com o momento do clube e cheguei a reduzir meus vencimentos de maneira significativa.

Também não foi a maneira que imaginei sair daqui. Um lugar que me recebeu muito bem e onde fui vitorioso conquistando uma Copa do Brasil e dois Estaduais.

Estava com o objetivo de fazer o Cruzeiro voltar para o seu lugar, a primeira divisão do Brasileiro. Será um ano difícil, mas tenho certeza de que a força dessa camisa irá superar as adversidades.

Fica meu lamento pelo projeto não ter sido concluído da maneira imaginada. Mas com muito orgulho de ter jogado no Cruzeiro Esporte Clube.

A nova diretoria do Cruzeiro foi transparente e me tratou de maneira objetiva, elegante e respeitosa. Deixo claro também que desejo toda a sorte do mundo à essas pessoas que hoje comandam uma das maiores agremiações do país.

Agora pensarei com calma o futuro, conversando com meu empresário e família. O trabalho continua e penso que 2020 ainda reserva conquistas!

Tags: Cruzeiro serieb interiormg futnacional mercadobola