Figueirense

SPORT

Atletas do Sport creem que fase do Figueirense não influenciará: 'nossa preparação é a mesma'

Clube catarinense vive crise dentro e fora de campo, convivendo com salários atrasados e jejum de vitórias na Série B desde junho

postado em 13/09/2019 09:00 / atualizado em 13/09/2019 08:39

<i>(Foto: Divulgação/Sport)</i>
Prestes a enfrentar o Figueirense em partida válida pela 22ª rodada da Série B, uma pergunta foi lançada recorrentemente para os jogadores do Sport ao longo da semana de preparação para o confronto. “Como a fase do Figueirense poderá afetar o jogo no próximo domingo?”. Este questionamento se justifica se levarmos em consideração o aproveitamento leonino diante de times na parte de baixo da tabela na Série C. Por isso, os atletas do Leão defenderam que o segredo para não tropeçar diante do Figueira, que está na zona de rebaixamento da competição é a concentração. 

“Esses jogos temos de entrar concentrados, pois são partidas difíceis e muito perigosas. Os times da parte de baixo tendem a jogar muito no nosso erro, então temos de ser bastante cautelosos na partida, porque tenho certeza que se entrarmos com toda força nós conseguiremos trazer os três pontos de lá. Eles estão extremamente pressionados por não estar ganhando e sem confiança por não conquistarem os resultados e isso pode nos ajudar. Se nos impusermos lá, tenho certeza que eles vão sentir bastante a partida e só temos a ganhar com isso”, avaliou o volante João Igor.

Na partida de ida, na Ilha do Retiro, o Sport fez partida ruim e empatou em 0 a 0 com o time catarinense. Desde lá, o time alvinegro de Florianópolis se afundou em uma crise financeira que levou os jogadores a tomarem atitudes drásticas como se recusar a entrar em campo em partida válida pela 17ª rodada, diante do Cuiabá, na capital matogrossense. 

Apesar de lamentar a situação a que estão expostos os atletas do Figueirense, o zagueiro Rafael Thyere defende que o Leão não encontrará facilidade diante dos catarinenses e que para isso, a preparação e o foco devem ser os mesmos apresentados diante do Bragantino, na vitória do último sábado na Ilha do Retiro. 

“Nossa preparação é a mesma. Nós lamentamos muito pela situação que eles vivem. Todo atleta que trabalha tem uma família, tem situações extracampo que precisa resolver e para isso precisa do salário. Eles vão fazer o trabalho deles e nós temos que buscar o nosso objetivo, com foco, inteligência e sabedoria, que é o resultado, que vai ser muito importante para nós. Lamentamos a questão salarial deles, sei que eles estão sem vencer faz algum tempo, mas quando entram em campo chegam para buscar o resultado e honrar a camisa. Por isso, não podemos levar isso em consideração.”

Para conquistar o resultado, o meia Leandrinho acredita que será necessário trabalhar com bastante calma, uma vez que há uma pressão para que o Sport melhore seu desempenho contra times que figuram no Z4 da competição.
 
“Temos que chegar lá bastante concentrados na partida, mas com calma para resolver, sem desespero caso o gol não saia logo, pois quando você enfrenta adversários que estão mais embaixo da tabela, a pressão da torcida é maior. Logo, nós entramos com aquela pressão para o gol sair e quando ele não vem começam as dúvidas de quando é que ele virá. Tem que se ter calma, pois o Figueirense é uma equipe que sempre foi muito forte jogando lá no Orlando Scarpelli. Tenho certeza que não vai ser um jogo fácil e chegando lá temos que ter calma para resolver a partida”, explicou.