Futebol Internacional

Treinador do Paris Saint-Germain nega saída de Thiago Silva e elogia Cavani

Blanc descarta transferência para Barcelona e diz que zagueiro está focado no PSG

postado em 03/07/2013 18:49

Contratado pelo Paris Saint-Germain para substituir o italiano Carlo Ancelotti, que foi para o Real Madrid, o treinador Laurent Blanc concedeu entrevista coletiva nesta quarta-feira e mostrou planos ambiciosos para próxima temporada. Cogitado em negociação com o Barcelona, o zagueiro Thiago Silva foi lembrado pelo técnico, que descartou a venda ao clube catalão.

“Conversei com ele ontem (terça-feira) por telefone. Ele está completamente focado em nosso projeto. Estamos preparando um programa de treinamentos individualizado. Senti que ele está envolvido”, explicou.

Apoiado pelo grupo Qatar Sports Investiment (QSI), o Paris Saint-Germain contratou Thiago Silva em julho do último ano, desembolsando 42 milhões de euros (aproximadamente R$ 123,6 milhões) ao Milan. Desde então, o zagueiro se tornou peça fundamental na equipe e foi utilizado até mesmo como volante por Ancelotti. Entretanto, jamais deixou de ser alvo do Barcelona.

Em busca de concretizar a transação, o clube catalão deve fazer oferta inicial de 32 milhões de euros (cerca de R$ 94,2 milhões) pelo jogador brasileiro. O interesse do zagueiro em defender o time blaugraná pode ser fator fundamental para negociação. Contudo, o Paris Saint-Germain não pretende se desfazer de Thiago Silva, que disputou 34 partidas na última temporada, sendo todas como titular, e marcou três gols.

Em caminho contrário ao do zagueiro brasileiro, o atacante Edinson Cavani, do Napoli, pode chegar ao clube francês nas próximas semanas. Laurent Blanc, inclusive, não poupou elogios ao centroavante uruguaio. Real Madrid, Chelsea e Manchester City são os principais rivais na disputa pela contratação.

“É um jogador que adoro, assim como muita gente. Acompanhei seu desempenho várias vezes no Napoli e no Uruguai. Se tiver que fazer parte de nosso elenco, ficarei muito contente”, encerrou o treinador, que estava afastado do futebol desde o último ano, quando deixou o comando da Seleção Francesa.