Futebol Nacional

Fim da linha para o Poços de Caldas

Presidente anuncia falta de recursos e clube fecha as portas

postado em 23/02/2013 09:37 / atualizado em 23/02/2013 09:38

Chegou ao fim a trajetória de quase seis anos de futebol profissional do Poços de Caldas. O Vulcão anunciou ontem, por meio de nota oficial assinada pelo presidente Hamilton Loyola, o fim de suas atividades. “O sonho está sendo interrompido por ausência de patrocinadores, parcerias e incentivos, não tendo a associação meios de sustentar o clube nem mesmo na disputa do Módulo II do Campeonato Mineiro de 2013”.

No início da temporada, a expectativa para a disputa do Módulo II era grande, pois a diretoria havia firmado uma parceria com o empresário chileno Celestino del Carmen Villa Zapata. Ele prometeu investimento no time do Sul de Minas e chegou a contratar veteranos, como o volante Amaral e o atacante Finazzi, além do técnico Cleber, que atuou como zagueiro de Atlético e Cruzeiro e teve passagem pela Seleção Brasileira. No entanto, o empresário sumiu do mapa e deixou uma dívida que pode superar R$ 100 mil.

Os dirigentes alegam ter sido enganados. Com a crise, Amaral e Finazzi abandonaram a equipe e o treinador pediu demissão. O calote do chileno foi citado na nota oficial do Vulcão: “A parceria ficou apenas na promessa, e devido ao descumprimento do acordado por parte do empresário os jogadores foram embora e ficaram as dívidas”. Na estreia na competição mineira o Poços de Caldas foi goleado por 4 a 1 pelo Social.

Uberlândia e Democrata-SL abrem hoje, no Parque do Sabiá, às 16h, a segunda rodada do Módulo II. No mesmo horário, no Estádio Zama Maciel, em Patos de Minas, o Uberaba enfrenta o Patrocinense. No domingo, jogam os líderes Mamoré e URT e, na segunda-feira, Democrata-GV e Social.