Futebol Nacional

CAMPEONATO MINEIRO

Euforia 1 x 1 Cautela

Ex-jogadores que fizeram história no clássico relutam em cravar que o Atlético já é o campeão. Reinaldo é a exceção, enquanto Raul diz que o Cruzeiro ainda tem chance

postado em 14/05/2013 08:08 / atualizado em 14/05/2013 08:14

Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press

De um lado, os torcedores atleticanos em estado de êxtase. Do outro, os cruzeirenses afirmando que a batalha ainda não terminou. Os ecos do clássico em que o Atlético venceu por 3 a 0 no Independência só começaram. O segundo duelo, marcado para as 16h de domingo, no Mineirão, vai apontar o campeão mineiro de 2013. Ao ser derrotado, o Cruzeiro perdeu a vantagem de dois empates para ficar com o título. Agora, o Galo leva a taça até mesmo com vitória da Raposa por dois gols de diferença. O primeiro jogo mostrou o time de Ronaldinho Gaúcho superior tecnicamente. Ex-jogadores que fizeram história na disputa, os atleticanos Reinaldo e Paulo Isidoro e os cruzeirenses Raul e Zé Carlos vão da declaração explícita de favoritismo à cautela.

O mais confiante deles é Reinaldo, observando que sua certeza do triunfo do Atlético está no grande momento da equipe: “Vi o primeiro jogo como uma disputa de uma defesa contra o ataque, porque o Cruzeiro não ameaçou. Agora, o Atlético vai aproveitar o desespero deles e tocar a bola. Hoje não é superior apenas em relação ao Cruzeiro. É o melhor time do Brasil. Está certinho, muito ajustado, com qualificação. Só não enxerga quem não quer”.

Já Paulo Isidoro, depois de destacar a superioridade atleticana, adverte que no Gigante da Pampulha não será fácil e que o time não tem direito de relaxar: “O Cuca foi muito feliz dizendo que ainda faltam 90 minutos. No Mineirão, o Atlético não vai encontrar a mesma facilidade, mas tem condições de repetir uma grande atuação, porque vai entrar tranquilo. É o que melhor marca e ataca em velocidade como no meu tempo, quando tínhamos Sérgio Araújo na direita e o Cerezo também chegando muito”.

Para o ex-goleiro Raul (557 jogos pelo Cruzeiro), não se pode hoje deixar de apontar o Atlético como superior, mas adverte, com a experiência de quase 30 anos no esporte: “No futebol tudo acontece. Nem sempre os melhores levam e o Cruzeiro tem chances, porque no primeiro jogo o Atlético jogou tudo e nós não conseguimos jogar. Nosso futebol foi muito ruim”.

Ele avalia que o maior trunfo celeste neste momento é o fato de poder atuar em casa, com o apoio de sua torcida. Para ele, será fundamental um trabalho durante a semana para mostrar aos jogadores que mesmo em desvantagem é possível acreditar na conquista do título: “Tem futebol para fazer três gols no Atlético. Com formação inferior, já ganhou por 6 a 1. Por que não pode repetir agora? É trabalhar para vencer por três gols de diferença. Não há nada ganho e muito menos perdido”. Mesmo diante de um ataque tão forte quanto o da Raposa, a dificuldade maior talvez seja o fato de a equipe alvinegra não ter tomado três gols em nenhuma partida nesta temporada e ficado só uma vez sem balançar as redes adversárias em 22 confrontos.

INDEFINIDO

Zé Carlos, ex-volante que mais vestiu a camisa celeste, em 633 jogos, aponta que o Atlético ficou mais próximo de ser o campeão e afirma que, apesar do esforço, o Cruzeiro não conseguiu na primeira partida se impor e terá de se desdobrar no confronto final se quiser sonhar com a taça: “Considero que a expulsão do Bruno Rodrigo não teve interferência. Quando um time encaixa o jogo é aquilo mesmo, especialmente em um clássico. Mas não está definido. No futebol acontece de tudo. No Mineirão, com a sua torcida, o Cruzeiro pode inverter. O melhor para nós é o Atlético achar que já levou”.

Reinaldo, ex-atacante alvinegro

"O Atlético vai aproveitar o desespero deles e tocar a bola. Hoje não é superior apenas em relação ao Cruzeiro. É o melhor time do Brasil”

Raul, ex-goleiro celeste


"Com formação inferior, já ganhou por 6 a 1. Por que não pode repetir agora? Não há nada ganho e muito menos perdido”

FALA, ATLETICANO!


César Augusto Campos de Faria, 27 anos, técnico em segurança

“Fiquei surpreso, porque acreditava que seria um jogo de 1 a 0 ou 2 a 1 e o Atlético aplicou 3 a 0. Jogou muito e agora ficou fácil, mesmo sendo no Mineirão. Domingo vamos colocar a cerveja no caneco”

Murilo Rabelo, 47 anos, advogado

“Não tem nada definido. O erro do Cruzeiro foi não ter começado com o Paulão, zagueiro mais decisivo. Num campo maior, com a torcida adversária, o Atlético naturalmente terá mais dificuldades, mas leva”

FALA, CRUZEIRENSE!

Michele Pereira da Silva, 27 anos, executiva comercial

“O Atlético foi superior. O Ronaldinho jogou muito, mas no Mineirão pode haver reviravolta. São grandes as possibilidades. O Cruzeiro será superior e o Atlético não vai repetir aquele grande jogo”

Dario Eustáquio Rodrigues, 66 anos, aposentado

“O Marcelo vai armar o time para surpreender. O Cuca está achando que já está com a mão na Taça, o que é bom para nós. O Atlético investiu certo, mas se fracassar também na Libertadores vai ser o fim”

Tags: atleticomg cruzeiroec