Futebol Nacional

COPA LIBERTADORES

Unir raça e inspiração

Atlético promete brigar do começo ao fim no jogo que abre os mata-matas com o São Paulo, no Morumbi, depois da postura apática na derrota na fase classificatória

postado em 02/05/2013 08:30 / atualizado em 02/05/2013 08:43

Rodrigo Clemente/EM/D.A Press
São Paulo – A impressão que os jogadores do Atlético passaram ao fazer sua preparação ontem à tarde no CT Joaquim Grava, do Corinthians, é a de que se sentirão em casa, mesmo com mais de 60 mil vozes contra no duelo com o São Paulo hoje, às 20h15, no Morumbi, pelas oitavas de final da Copa Libertadores. Uma atividade leve e descontraída provocou risos e piadas até do técnico Cuca, que vinha se mantendo com semblante mais fechado nos últimos dias na Cidade do Galo.

Funcionários do Timão exibiam olhares curiosos em torno de Ronaldinho e Diego Tardelli. O camisa 10 cumprimentou a todos rapidamente. Cuca pediu aos jogadores que se comportassem no treino da forma mais natural possível, sem se preocupar com o fato de o São Paulo estar motivado e confiante para a partida de hoje.

Esta deve ser a receita do Galo no importante duelo com o tricolor: aliviar a ansiedade natural do início da partida e gradativamente impor seu estilo de jogo, embora atuando fora do caldeirão do Independência. O treinador reconheceu que o time mineiro foi apático no duelo da primeira fase, no mesmo Morumbi, e promete que agora a mobilização será diferente e bem mais intensa.

Cuca entende que a equipe precisa mostrar sua capacidade, tal como nos cinco primeiros jogos da Libertadores, quando o alvinegro conquistou 100% de aproveitamento e balançou as redes 16 vezes. “Precisamos jogar pelo menos 90% do que fizemos em toda a competição. O que faz a diferença nesses momentos é o jogador diferenciado e a sua qualidade individual. Tem atleta acostumado a decisões e nós temos um time maduro.”

No moderno CT corintiano, com cinco campos de gramado impecável, os atleticanos participaram da tradicional roda de bobo e do treino recreativo. Os preparativos foram observados de longe pelos familiares de Jô, revelado pelo Corinthians em 2005, aos 16 anos. “Aqui é a casa dele. Ele surgiu aqui e foi campeão brasileiro em 2005. Conhece cada buraco do CT”, brinca o pai, Dario de Assis, que atuou no profissional do Corinthians e da Portuguesa nos anos 1970.

Cuca pôs um ponto final em torno das declarações polêmicas a respeito do São Paulo no último jogo entre eles: “Quem conhece o Ronaldinho sabe que ele não provoca ninguém. Ele falou o que estava pensando naquele momento, sem querer expor ninguém. O São Paulo utilizará isso para se mobilizar ainda mais para a partida”.

COMPARAÇÕES

O atacante Diego Tardelli recorre à situação do Barcelona diante do Bayern para ilustrar o momento do Atlético: não se pode dar espaço ao adversário no primeiro jogo, senão se corre o risco de pôr tudo a perder: “Usamos o exemplo do Bayern, que fez 4 a 0 no Barcelona. Agora, os alemães golearam de novo (3 a 0). Temos de entrar em concentração e cada um tem de fazer sacrifício a mais para vencermos. Esse primeiro jogo é importante para nossas pretensões. Depois, podemos decidir no Independência, onde todos conhecem nossa força”.

Cuca confirmou o time com Gilberto Silva na zaga (no lugar de Leonardo Silva, suspenso) e Bernard no ataque. Depois de começar no banco na vitória sobre o Tombense (2 a 0), devido a problemas físicos, Jô volta a ser titular no lugar de Alecsandro.


SAIBA MAIS...

Morte ante brasucas


Mata-matas contra brasileiros na Copa Libertadores têm sido uma dor de cabeça para o São Paulo. Suas últimas cinco eliminações ocorreram ante rivais do Brasil: em 2006 perdeu para o Internacional na final; em 2007, foi eliminado pelo Grêmio nas oitavas; em 2008, caiu diante do Fluminense nas quartas; em 2009, batido pelo Cruzeiro nas quartas; em 2010, superado pelo Inter na semifinal.

Ordem é ignorar triunfo anterior

Esquecer o triunfo por 2 a 0 sobre o Atlético na última rodada da fase de grupos, que garantiu o São Paulo nas oitavas de final da Libertadores, é a ordem no tricolor. O time do técnico Ney Franco sabe que o confronto desta noite contra o Atlético, no Morumbi, será bem mais difícil e que a vitória naquele confronto não serve de parâmetro, especialmente porque o Galo estava desfalcado de Bernard e Tardelli.

O zagueiro Lúcio lembra que os dois times passavam por momentos distintos no torneio continental. O Galo já estava classificado na ocasião do duelo, com a melhor campanha entre os 16 participantes do torneio continental, e os são-paulinos precisavam vencer a qualquer custo para se classificar. “Cada partida é uma história e não vai ser o mesmo jogo. Eles estavam mais tranquilos pela classificação, nós corríamos o risco de ficar fora. Não tem como prever o que vai acontecer, está tudo em aberto. São duas grandes equipes.”

Para tentar vencer o time do técnico Cuca e assegurar vantagem considerável para o jogo de volta, quarta-feira, no Estádio Independência, os paulistas contam com a força de seus torcedores. O clube confirmou que os 62.865 ingressos à disposição foram vendidos.

MUDANÇA

E quem for ao Morumbi verá poucas mudanças no São Paulo. A única alteração em relação à formação anterior é a volta do armador Jádson, que estava suspenso. No ataque, Aloísio segue como o substituto do centroavante Luís Fabiano, que cumpre a quarta e última partida da suspensão imposta pela Conmebol – foi expulso depois do confronto com o Arsenal de Sarandí, no Pacaembu, pela fase de classificação.

O jogador demonstra entusiasmo com a chance e assegura que vai tentar fazer o melhor diante do alvinegro. “Quando cheguei aqui, me perguntaram sobre a Libertadores, que era uma competição com as minhas características, um jogo mais pegado em que o árbitro não marca tantas faltas. É mais de contato. Fico feliz por ajudar. Tenho saúde e sempre vou dar meu máximo.”

FICHA TÉCNICA
São Paulo x Atlético
São Paulo: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Lúcio, Rafael Tolói e Thiago Carleto; Wellington, Denílson, Jádson e Paulo Henrique Ganso; Osvaldo e Aloísio
Técnico: Ney Franco
Atlétic: Victor; Marcos Rocha, Gilberto Silva, Réver e Richarlyson; Pierre, Leandro Donizete e Ronaldinho Gaúcho; Diego Tardelli, Jô e Bernard
Técnico: Cuca
Estádio: Morumbi
Horário: 20h15
Árbitro: Antônio Arias (PAR)
Assistentes: Carlos Cáceres e Darío Gaona (PAR)
TV: Fox Sports
Ingressos: esgotados

A CHAVE DO JOGO

Para se dar bem na casa do tricolor paulista e conquistar vantagem para o segundo jogo, no Independência, o Atlético dependerá muito da velocidade e da inteligência do atacante Bernard. Ele admite que ainda sente receio em dividir uma bola com o adversário, já que teve luxação no ombro esquerdo, mas não abre mão de ajudar o Galo com assistências e gols. O prata da casa já fez três na Libertadores, todos contra o Arsenal de Sarandí