Futebol Nacional

SÉRIE A

Combustível extra para a Libertadores

Galo poupa a maioria dos que serão titulares na quarta-feira, em Assunção, diante do Olimpia, mas derrota o Corinthians em São Paulo e sobe na classificação do Brasileiro

postado em 15/07/2013 08:00

Leo Pinheiro/Futura Press/Folhapress
A três dias da primeira das duas partidas mais importantes dos 105 anos de história do clube – a decisão da Copa Libertadores contra o Olimpia –, o Atlético teve de segurar a ansiedade para, com um time misto, vencer o Corinthians por 1 a 0, ontem à tarde, no Pacaembu, pela sétima rodada do Brasileiro. Foi a segunda vitória consecutiva do alvinegro, que chegou a 10 pontos, subindo para a nona colocação.

O resultado foi importante para dar fôlego ao time, que vai ficar mais uma semana e meia envolvido com a disputa continental, antes de se dedicar exclusivamente ao Nacional. No domingo, entre os dois duelos decisivos, o Galo volta a campo para enfrentar a Ponte Preta, no Independência, jogo que a diretoria tenta adiar. “Estamos na briga, era importante vencer para não desgarrar dos primeiros”, explicou o técnico Cuca.

Em jogo pouco inspirado das duas equipes – sobretudo dos corintianos, que parecem sentir muita falta do volante Paulinho, vendido ao Tottenham, da Inglaterra –, os jogadores atleticanos queriam aproveitar a chance de mostrar trabalho a Cuca. Do time titular que venceu o Newell’s Old Boys, nos pênaltis (após 2 a 0 no tempo normal), quarta-feira, apenas Victor, Gilberto Silva e Bernard começaram o jogo de ontem, sendo que o último está suspenso da primeira partida contra o Olimpia.

Entre os reservas que tiveram a chance de começar o jogo, destaque para o volante Rosinei, que se redimiu da expulsão infantil nas oitavas de final contra o São Paulo, que lhe rendeu suspensão de quatro jogos na Libertadores. Revelado pelo próprio Corinthians, ele marcou o gol da vitória aos 36min do primeiro tempo. Júnior César rolou para Bernard, na esquerda, que cruzou para a área. Rosinei, sem marcação, desviou para as redes do goleiro Cássio.

Mesmo com o dever cumprido, Rosinei não se intimidou e continuou avançando. Aos 20min da segunda etapa, ele teve a melhor chance do Atlético para ampliar. Luan cruzou da direita, mas ele, sozinho, errou o tempo do peixinho, deixando a bola passar. Depois do jogo, o volante falou de seu carinho pelo Timão, onde foi eleito melhor de sua posição no Brasileiro de 2005. “Não importa contra quem seja, é sempre gostoso fazer gol. O Corinthians é um time pelo qual eu tenho um carinho muito grande, comecei minha carreira aqui, com 12 anos, mas agora estou defendendo outra equipe.”

VICTOR SALVA

Em alta com a torcida atleticana, após defender os pênaltis que deram ao clube a classificação contra Tijuana e Newell’s, Victor fez outra boa partida ontem. Logo aos 4min, ele teve de sair da área para se antecipar ao ataque corintiano. Três minutos depois, o atacante Romarinho driblou Rafael Marques e Júnior César, mas chutou para fora, na melhor chance do Corinthians. Aos 12min, Ralf chutou de fora da área e obrigou a Victor a espalmar, fazendo grande defesa. O goleiro ainda fez importante intervenção aos 27min, espalmando chute de Pato.

O gol de Rosinei esfriou o Corinthians, que fez um segundo tempo ruim, mesmo com as mudanças no Atlético. Réver sentiu cansaço muscular e deu lugar a Lucas Cândido, obrigando Gilberto Silva a recuar. Logo aos 8min, Júnior César caiu de mau jeito e teve de dar lugar a Marcos Rocha. Aos 28min, Pato tentou de cabeça na pequena área, mas Victor defendeu. O atacante, contratação mais cara da história do clube, saiu vaiado pela torcida. Nos minutos finais, o Atlético apenas administrou a vantagem.

FICHA TÉCNICA

Corinthians 0 x 1 Atlético
Corinthians: Cássio; Edenílson, Gil, Paulo André (Paulo Victor 26 do 2º) e Fábio Santos; Ralf, Guilherme e Ibson; Romarinho, Alexandre Pato (Leo 36 do 2º) e Guerrero
Técnico: Tite
Atlético: Victor; Michel, Réver (Lucas Cândido, intervalo), Rafael Marques e Júnior César (Marcos Rocha 8 do 2º); Gilberto Silva, Rosinei, Guilherme e Bernard; Berola (Luan 14 do 2º) e Alecsandro
Técnico: Cuca
Estádio: Pacaembu
Gols: Rosinei 36 do 1º
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva (GO) e Marrubson Melo Freitas (DF)
Cartão amarelo: Michel, Guilherme (Corinthians), Luan, Fábio Santos, Guilherme
Pagantes: 32.797
Renda: R$ 1.152.192

Alvinegros com ânimo dobrado


A delegação do Atlético embarca hoje à noite para Assunção (Paraguai), onde enfrenta o Olimpia, quarta-feira, às 21h50, no Defensores del Chaco. Antes da viagem, à tarde, o técnico Cuca comanda o último treino tático antes da final, uma vez que o time fará apenas trabalho leve de reconhecimento de gramado amanhã à noite. O voo, em avião fretado, dura pouco menos de três horas.

Depois da vitória de ontem, o técnico Cuca explicou como fez para manter os jogadores motivados. “Nosso foco está voltado para a Copa Libertadores. Mas a gente trabalhou bem a cabeça dos jogadores. Precisávamos da vitória para brigar lá em cima, ficar próximo do líder”, comentou.

O departamento médico do clube afirmou que o zagueiro Réver não é preocupação para o jogo de quarta-feira. Fora das semifinais da Libertadores e reserva da Seleção Brasileira durante a Copa das Confederações, ele entrou em campo ontem para ganhar ritmo, mas saiu no intervalo sentindo cansaço muscular e dor numa perna. “É um incômodo. Antes da partida, estava forte. Mas conversamos e decidimos que eu poderia jogar para recuperar o ritmo. Qualquer desconforto, eu poderia sair. No fim do primeiro tempo, senti um pouco mais forte e o Cuca resolveu me tirar”, explicou Réver.

SUBSTITUTO

A única dúvida do técnico é quem será o substituto de Bernard, suspenso por ter recebido o terceiro amarelo diante do Newell’s Old Boys. Luan, provável titular, falou sobre a importância de ter um grupo forte para se dar bem no Brasileiro e na Libertadores. “Não existe reserva nem titular. O Cuca sempre ressalta a confiança no grupo e agora temos que fazer um grande jogo na quarta-feira.”