Futebol Nacional

FOCO

Atleticanos querem fim do clima de festa após comemoração desta quinta-feira

Jogadores e dirigentes do Galo vão festejar com a torcida na Praça Sete

postado em 01/08/2013 08:19 / atualizado em 31/07/2013 23:14

Bruno Cantini/ Atlético
A emocionante conquista da Copa Libertadores, na quarta-feira passada, gerou uma onda de comemorações no Atlético, incluindo jogadores. Mas chegou a hora de acabar com a festa, pelo menos para os atletas, que têm consciência da responsabilidade que carregam no restante da temporada.

O capítulo final das “comemorações oficiais” será na noite desta quinta-feira, quando o time vai à Praça Sete, no Centro de Belo Horizonte, festejar com os torcedores. Depois, os compromissos dominam as atenções.

“O foco nosso agora é Copa do Brasil e Brasileiro. A Libertadores já passou. A festa acaba agora. Tem que focar, se não a gente perde partidas importantes”, disse o atacante Diego Tardelli, após a derrota por 2 a 1 para o Atlético-PR, resultado que pôs fim à invencibilidade do Galo no Independência.

O jogo contra o Furacão pode ter sido também o de despedida do atacante Bernard, próximo de ser vendido ao Shakthar. “A gente podia fechar com chave de ouro com Bernard para ir para a festa. Mas Campeonato Brasileiro é isso. Precisamos somar pontos para ficar lá em cima”, lamentou Tardelli.

Depois da conquista da Libertadores, o Atlético acumula duas derrotas. A equipe, armada com reservas, já havia perdido, por 4 a 1, para o rival Cruzeiro no domingo passado.

“Ainda tem esta festa, mas depois acabou. Agora é Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro”, alertou o atacante Alecsandro. Em dezembro, o Atlético tem outro torneio na agenda: o Mundial de Clubes.

O técnico Cuca explicou a razão da festa uma semana depois da conquista da taça: “Não gosto muito de festa, gosto de ficar em casa, mas esta é uma situação que é necessária, é a entrega do troféu para quem não pode ir a campo, ao jogo. Não é se exibir, mas é comemorar com quem tanto merece.”