Futebol Nacional

Título

Sem folga da festa, sem pausa no trabalho

Santa Cruz viajou ontem para o Rio Grande do Sul onde enfrentará, amanhã, o Internacional

postado em 14/05/2013 07:28 / atualizado em 14/05/2013 07:29

Alexandre Barbosa /Diario de Pernambuco

A festa pela conquista do tricampeonato pernambucano prosseguiu entre os tricolores. Ontem, no bairro do Arruda, seu José Luiz Araújo Silva, de 51 anos, fechou o espaço reservado aos clientes de sua lanchonete para comemorar o título. Pelo terceiro ano consecutivo, a “farra do boi” animou a massa coral. Ontem, até o presidente Antônio Luiz Neto compareceu. O pessoal ainda arrecadou 300 garrafões de água para doação aos atingidos pela seca.

A irreverência também esteve presente na comemoração que a torcida tricolor realizou nos arredores do Mercado de São José. Até um enterro simbólico do Leão – mascote do Sport – foi feito, ontem pela manhã. Com direito a velas, flores e um caixão. As três cores, de fato, enfeitaram boa parte da cidade.

Pausa

Pausa na festa. Apenas para os jogadores e comissão técnica do Santa Cruz. Porque para a torcida, o embarque da delegação, ontem, para o Rio Grande do Sul, foi um prolongamento das comemorações pelo tricampeonato
Bruna Monteiro/DP/D. A. Press
pernambucano. Os tricolores lotaram o embarque sul do Aeroporto Internacional Gilberto Freyre/Guararapes, na ânsia por um contato com os campeões. Os mais festejados foram os autores dos gols da vitória por 2 a 0 sobre o Sport, no domingo, Flávio Caça-Rato e Sandro Manoel.

A festa, no entanto, ficou no Recife. Amanhã, em Caxias do Sul, na Serra Gaúcha, o Santa Cruz enfrenta o Internacional, pela Copa do Brasil. Na partida de ida, no Arruda, empate em 0 a 0. Um resultado não tão ruim. Nova igualdade no placar, mas com gols, classifica o Tricolor para a fase seguinte. O grande desafio é deixar as comemorações pelo título estadual de lado e se concentrar nessa missão. Deixar o clima de festa com a torcida e se dedicar ao trabalho.

Além do foco, as condições físicas do elenco também se tornaram um obstáculo. Dois jogadores nem viajaram para o Sul. Everton Sena e Dênis Marques, com problemas musculares, foram vetados. No lugar deles viajaram o lateral direito Marquinho e o zagueiro Leandro Souza. Os demais são os mesmos relacionados para o clássico. O técnico Marcelo Martelotte revelou, antes do embarque, que não havia definido os substitutos. Mas as mudanças devem ser simples: Nininho na direita e Danilo Santos ou André Dias no ataque.

A delegação do Santa Cruz dorme em Porto Alegre e hoje segue, de ônibus, para a cidade de Caxias do Sul, onde ocorrerá o jogo. O Internacional está atuando no estádio Centenário por conta da reforma do Beira-Rio, que vai receber a Copa do Mundo. Hoje à tarde, o elenco realiza um treinamento já na Serra Gaúcha. Os titulares devem continuar sendo poupados devido ao desgastes da sequência de partidas e da viagem.

Grande nome da final contra o Sport, o goleiro Tiago Cardoso procurou manter a concentração. “Para mim, particularmente, é fácil trocar o chip. Apesar de toda a cidade ainda estar mobilizada com a vitória, conosco tem que ser diferente. Claro que estou feliz, mas chegando em Caxias do Sul temos que mudar o foco”, afirmou o camisa 1.