Futebol Nacional

Série C

Se tropeçar, Sandro cai

Situação do técnico coral chegou ao limite e ele precisa de bons resultados nesta semana para seguir no cargo

postado em 05/08/2013 08:49 / atualizado em 05/08/2013 15:21

Edvaldo Rodrigues/DP/D.A Press
Faltando dois jogos para o fim do primeiro turno da Série C, o Santa Cruz se encontra fora do G4 do grupo A. E o fato de o time não decolar na competição está na conta do treinador Sandro Barbosa. Conta que chegou ao limite entre os tricolores. Desde que Sandro assumiu o comando do time, passou distante da unanimidade. Antes de tudo, pela falta de experiência. Agora, pelos resultados.

A situação chegou ao ponto crítico após a derrota no último sábado, para o Sampaio Corrêa, por 3 a 0. Goleada que transformou as duas partidas que virão em decisões para Sandro. Em caso de um novo fracasso já na quarta-feira, contra o Brasiliense, a sua permanência será difícil.

As críticas da torcida a Sandro têm duas direções. A primeira é quanto à falta de experiência. Apesar de ter passado dois anos no Arruda como auxiliar de Zé Teodoro, o ex-zagueiro nunca havia treinado nenhum time em sua carreira fora das quatro linhas. A desconfiança da torcida se transformou em frustração durante a campanha coral na Série C. O time continuou sua sina de não vencer fora de casa.

A outra é quanto a capacidade do treinador. Os torcedores cobram de Sandro a continuidade ao trabalho deixado pos Marcelo Martelotte. Mas ele preferiu mexer na equipe. Após duas rodadas, sacou Everton Sena da lateral direita. Apesar de jogar improvisado, o zagueiro vinha se destacando na posição. Nininho entrou na vaga e não rendeu. O técnico insistiu na mesma escalação durante cinco partidas, mesmo com o time não jogando bem e só mudou na penúltima rodada, por conta da pressão de vencer diante do lanterna Rio Branco. Venceu. Mas passou longe de convencer.