Futebol Nacional

Copa Sul-Americana

"El Clásico" aos olhos da América

Sport e Náutico fazem, hoje, o primeiro Clássico dos Clássicos na história da Sul-Americana

Ricardo Fernandes/DP/D.A Press e Edvaldo Rodrigues/DP/D.A Press
Duelo de 104 anos de história, Náutico e Sport já se enfrentaram 532 vezes, por 23 competições diferentes e amistosos. Mas nenhuma como a de hoje. Quando entrarem no gramado da Ilha do Retiro, às 19h30, para mais um confronto, rubro-negros e alvirrubros estarão elevando, pela primeira vez, o Clássico dos Clássicos pernambucano ao patamar internacional, válido pela Copa Sul-Americana. Um jogo histórico e que pode influenciar diretamente na caminhada dos dois rivais no Brasileiro.

Pelo lado do Náutico, um triunfo sobre o rival pode se transformar em uma injeção de ânimo extra na luta contra o rebaixamento na Série A, onde a equipe está afundada na lanterna, com apenas oito pontos. Já uma eliminação pode abalar de forma irreversível a confiança do time e da torcida. Afinal, a classificação para a Sul-Americana foi bastante comemorada pelos timbus. Principalmente porque foi festejada junto com o rebaixamento do maior rival.

Por sua vez, os rubro-negros foram pegos de surpresa com a participação na Sul-Americana. A vaga só foi obtida após o Leão ficar em uma “fila de espera” atrás de sete times brasileiros com direito à vaga. Uma a uma essas equipes foram passando a classificação adiante, até ela cair no colo do clube pernambucano. O que não diminui a responsabilidade do time. Uma eliminação diante do rival poderá gerar um momento turbulento e uma pressão desnecessária na campanha da Série B.

O alerta foi dado ontem, pelo próprio técnico Marcelo Martelotte. “Vamos encarar essa partida com muita responsabilidade. Acredito, sim, que a competição possa ter um reflexo no Brasileiro. Passando, ganhamos muita moral”, destacou. Do lado alvirrubro, o pensamento é o mesmo. “Sei o que representa para o Náutico eliminar um rival como o Sport. Vamos ganhar muita moral se isso acontecer”, completou Martinez.

O rubro-negro terá três mudança no time. A principal ausência será a do atacante Marcos Aurélio. Com um edema na panturrilha, ele dará lugar a Roger. Na lateral esquerda, Pery ganha a vaga de Marcelo Cordeiro, enquanto o meia Camilo retorna no lugar de Patrik Silva.

No Náutico, o técnico Jorginho vai repetir a mesma formação utilizada em sua estreia no comando do time, na derrota por 1 a 0 para o Fluminense, no último sábado.