Futebol Nacional

Esperança renovada

Duas semanas após ser baleado, Lucas Lyra abre os olhos pela primeira vez

Familiares do torcedor alvirrubro continuam em estado de vigília

postado em 28/02/2013 08:10

Ricardo Fernandes/DP/D.A Press
Para os médicos, a explicação é científica: por causa da diminuição dos sedativos. Mas, para a família, o fato de Lucas Lyra ter aberto os olhos ontem, quase duas semanas após ser baleado na nuca em frente ao estádio dos Aflitos, é um sinal de esperança. Um indício de recuperação. “Foi muita alegria hoje (ontem). Espero que amanhã (hoje), quando sair o novo boletim, tenhamos mais ainda”, comemorou Carlos Alberto, tio da vítima. Segundo os familiares, Lucas abriu os olhos antes de tomar o primeiro banho desde a cirurgia, realizada em 16 de fevereiro, dia do incidente.

Ainda de acordo com os relatos dos parentes, Lucas Lyra teve retirados um aparelho de controle de pressão e um dreno ligado ao crânio - informação não confirmada pela assessoria de imprensa do Hospital da Restauração (HR). Segundo o boletim mais recente, o estudante de 19 anos continua inconsciente, em estado grave, porém estável, em um leito da Unidade de Suporte Avançado em Neurocirurgia (Usan). A família segue em clima de vigília. Ontem, esteve reunida em uma missa.

Inquérito


A Polícia espera concluir até amanhã o inquérito sobre o incidente. O documento tem como base o depoimento de mais de dez testemunhas, além do réu confesso. Sexta-feira, completam-se dez dias da prisão temporária de José Carlos Feitosa Barreto, de 37 anos, contratado pela empresa de transportes urbanos Pedrosa para fazer a segurança contra a habitual depredação dos ônibus após os jogos. O suspeito admitiu o disparo, mas garantiu ter sido de forma acidental, depois de se envolver em briga com torcedores em plena avenida Rosa e Silva.