Futebol Nacional

NÁUTICO

Na raça, Náutico faz gol no fim, bate o Ferroviário por 1 a 0 e cola no G4 da Série C

Timbu lutou, mas apenas nos minutos finais o gol saiu. Matheus Carvalho, de voleio, decretou o fim da invencibilidade do Ferrão jogando dentro de casa

postado em 15/07/2019 22:07 / atualizado em 15/07/2019 22:55

<i>(Foto: Léo Lemos/ CNC
)</i>
Diante do líder. O adversário a ser batido no grupo A da Série C. O Náutico foi ao Castelão, contra o Ferroviário com o objetivo de espantar a crise, depois de perder fora de casa contra o Imperatriz-MA. Precisava se reestabelecer na competição, de uma vitória para ganhar moral. E ela chegou. Na raça, com a luta de um time que vai brigar pelo acesso à Segunda Divisão e fez o melhor jogo da temporada até agora. Depois de muito tentar, no apagar das luzes, com Matheus Carvalho, de voleio, o Timbu bateu o Tubarão da Barra por 1 a 0 em pleno Castelão. 

Vitória dos pernambucanos que pôs fim à invencibilidade dos cearenses jogando dentro dos seus domínios. E que também manteve a escrita do Timbu nunca perder jogando fora de casa contra o Ferrão. Com o resultado importantíssimo, o Alvirrubro chegou aos 18 pontos na tabela de classificação do grupo A da Série C. Assim ocupando a quinta colocação do seu grupo, só perdendo para o Imperatriz, quarto colocado, mas que possui saldo de gols maior.  

O JOGO 

O Náutico fez um primeiro seguro. Bem postado defensivamente, não deixou o Ferroviário utilizar o que tem de melhor: o ataque. Tanto é que, em toda primeira etapa, apenas uma chance de perigo foi criada pelo Tubarão da Barra. Logo no início do primeiro tempo, aos 10 minutos. Edson Cariús encontrou espaço para criar jogada, enfiou para Caxito, que ficou cara a cara com Jefferson, mas demorou para finalizar e Rafael Ribeiro cortou na hora certa.  À exceção deste momento, no restante dos primeiros 45, foram os pernambucanos os protagonistas. 

Mesmo com os erros iniciais, se limitando a alçar bolas em profundidade, a equipe comandada por Gilmar Dal Pozzo foi se ajustando. E, as chances aparecendo. Todas elas desenhadas pelo trio de ataque, que contou com a novidade do estreante Jefferson Nem no lugar de Neto Pessoa. A primeira jogada de perigo do Náutico saiu, de pé em pé, por eles. Aos 15, em boa triangulação pelo lado esquerdo do campo, Thiago tocou para Wallace Pernambucano fazer o corta-luz e deixar Nem livre para chutar cruzado, e a bola sair raspando a trave do goleiro Nícolas. 

Pouco tempo depois, outra chance criada pelo Alvirrubro. Desta vez, comandada por Thiago, o protagonista do primeiro tempo no Náutico. O prata da casa, aos 24, deu um belo passe, deixou Danilo Pires na cara do gol, e após contato com Juninho Arcanjo, caiu e reclamou por ter sido puxado pelo zagueiro. O árbitro, entretanto, não marcou pênalti.  

Enquanto o Ferroviário tentava encontrar brechas na defesa bem postada do Timbu, que não deixou seu principal jogador, Edson Cariús, criar jogadas de perigo, os pernambucanos foram, cada vez mais, se aproveitando. E, já no final do primeiro tempo, mais duas oportunidades apareceram. Só faltou capricho para serem revertidas em gols.  Aos 33, Thiago fez o pivô, tocou para Jefferson Nem chutar, mas a zaga tirou o chute. Em seguida, aos 43, Wallace Pernambucano puxou o contra-ataque, tocou para Thiago. O camisa 11 avançou em velocidade, ficou cara a cara com o goleiro do Ferroviário, mas chutou cruzado, para fora.

   
 
SEGUNDO TEMPO
Se lançando mais ao ataque, o Náutico, logo aos dois minutos do segundo tempo, teve a melhor chance do jogo até então. Porém, mais uma vez, foi desperdiçada. Thiago tocou para Matheus Carvalho que, na pequena área, achou Wallace Pernambucano livre, mas o camisa nove alvirrubro chutou em cima de Nícolas, e a bola saiu. 

Mas a postura ofensiva não demorou, também, a ter seu preço. Isso porque a zaga deixou espaços livres para o Ferroviário contra-atacar. E as chances vieram, com mais perigo, diferentemente do cenário que se desenhou no primeiro tempo. Aos cinco, Edson Cariús recebeu na direita, driblou Diego Silva, mas foi travado por Hereda na hora do chute. Dois minutos depois, outra oportunidade do Tubarão. Caxito puxou na direita, chutou rasteiro e a bola tocou na trave de Jefferson. 

Desde então, o Náutico caiu bruscamente de produtividade. Sem contar mais com Jefferson Nem no ataque - mas que também servia como criador no meio campo - , substituído por Álvaro, a equipe alvirrubra passou a não aproveitar os contra-ataques. Abusando da lentidão na transição, o Timbu se resumiu a rifar bolas para conectar Wallace Pernambucano, sempre marcado, no ataque.  

Porém, o futebol é o futebol.  E, no apagar das luzes, com uma equipe já desgastada, o Timbu, finalmente,  balançou as redes. Em um golaço. Wallace Pernambucano, ainda caído na pequena área, dá um toque, de costas, para Matheus Carvalho, de voleio, estufar as redes de Nícolas e decretar a vitória do Alvirrubro. Em cima do líder. Mas o Náutico não tem nada a ver com isso, e saiu com a moral elevada para os próximos dois confrontos, dentro de casa, nos Aflitos.  
 
FICHA DE JOGO
 
Ferroviário-CE 0
Nícolas; Jean (Isaac Prado), Da Silva, Afonso e Michael; Leanderson (Esquerdinha), Mazinho e Juninho; Janeudo, Caxito e Edson Cariús. Técnico: Leandro Campos 

Náutico 1 
Jefferson; Hereda, Rafael Ribeiro (Diego Silva), Camutanga e Wilian Simões; Jiménez, Danilo Pires (Jhonnatan) e Matheus Carvalho; Thiago, Wallace Pernambucano e Jefferson Nem (Álvaro). Técnico: Gilmar Dal Pozzo

Árbitro
: Dyorgines Jose Padovani de Andrade (ES)
Assistentes: Fabiano da Silva Ramires (ES) e Katiuscia Berger (ES)
Gols: Matheus Carvalho
Cartões amarelos: Maicon (F), Matheus Carvalho (N), Janeudo (F)