Futebol Nacional

NÁUTICO

Dal Pozzo ressalta importância de Náutico manter concentração e identidade no clássico

Treinador do alvirrubro valorizou o que considerou a consolidação de seu trabalho no Náutico e falou da identidade que o time precisa manter

postado em 23/08/2019 20:11 / atualizado em 23/08/2019 20:11

<i>(Foto: Paulo Paiva/DP Foto)</i>
Antes de iniciar a disputa do mata-mata da Série C, o Náutico ainda tem um compromisso na Primeira Fase, e não é qualquer compromisso. O Clássico das Emoções pode tirar qualquer chance de acesso do Santa Cruz e garantir a primeira posição do Grupo A para o alvirrubro. Assim, o treinador Gilmar Dal Pozzo ressaltou a necessidade do time manter a identidade e a concentração para o confronto, mesmo com a classificação garantida.

"Nossa equipe tem que estar mentalmente forte no jogo. Fazer o nosso jogo, não deixar de lado os nossos conceitos. A gente jogou todo o campeonato nessa forma. Nós demoramos para criar uma identidade, hoje o Náutico tem uma identidade muito forte".

Gilmar Dal Pozzo valorizou o trabalho que conseguiu instaurar no Náutico, o qualificando como consolidado. Para ele, a equipe vem conseguindo, além de bons resultados, boa atuações, o que tem que ser mantido para o clássico.

"Se não fizer por merecer, você já vai chegar em determinado momento da competição que você já vai ganhar por acaso, por uma bola. Hoje o Náutico tá vencendo os jogos e convencendo. Então encontrou essa identidade. A manutenção dessa identidade, desse conceito nesse jogo ainda contra o Santa Cruz e depois na sequência do campeonato, no mata-mata, é muito importante".

Além disso, o treinador ressaltou o estilo de jogo que vem sendo cumprido pelo Náutico e reafirmou sua manutenção como chave para a vitória amanhã.

"Imagine você jogando um jogo em casa, um clássico, vai ser mais agressivo ainda na marcação. De posse da bola, nossa equipe joga com tranquilidade, jogo curto, jogo verticalizado, sem ser incisivo, tem lucidez. A bola não pode queimar no pé, que nem foi os primeiros 15 minutos contra o Sampaio (...) Então tem que ter esse ponto de equilíbrio, mas não perdendo e não largando de mão nossos conceitos".