UAI


Sem vencer na Série A, São Paulo aposta nos argentinos contra o Corinthians

Atletas da Argentina são a principal esperança para o time quebrar o incômodo jejum de quase oito anos sem vencer o rival fora de casa

30/06/2021 08:50 / atualizado em 30/06/2021 09:06
compartilhe
Matías Benítez tenta ser o articular do time no clássico
foto: Divulgação/ São Paulo

Matías Benítez tenta ser o articular do time no clássico



Ainda sem vitórias após sete jogos no Campeonato Brasileiro, o São Paulo fez uma programação especial para escalar os meias Matías Benítez e Emiliano Rigoni no clássico diante do Corinthians, nesta quarta-feira, às 21h30. Os argentinos são a principal esperança para o time quebrar o incômodo jejum de quase oito anos sem vencer o rival fora de casa. No período, foram dez vitórias do Corinthians e quatro empates. Em evolução, Sylvinho faz seu primeiro clássico na NeoQuímica Arena e apostando na velocidade de Gustavo Mosquito, principal atacante da equipe, para subir na tabela.

Diante do Ceará, o São Paulo poupou os dois jogadores à espera do clássico. Benítez começou no banco de reservas para se preservar em relação à lesão na coxa esquerda que o tirou dos gramados por um mês. Ele só jogou meia hora. Esse foi praticamente o mesmo tempo de atuação de Rigoni, que também começou no banco de reservas para se preservar fisicamente.

Ex-parceiros de Independiente, os dois argentinos são peças fundamentais. Depois de ter sido eleito o melhor jogador do Campeonato Paulista, Benítez foi uma das ausências mais sentidas no início do Brasileirão. Ele é o responsável pela criatividade e a lucidez para romper a marcação. Com rápida adaptação após deixar o futebol espanhol, Rigoni é um dos raros destaques na campanha de quatro empates e três derrotas no torneio nacional. Três dos quatro gols do time resultaram de assistências do camisa 77.

O São Paulo deve ter a volta de dois defensores importantes: o lateral Léo e o zagueiro Luan. Miranda pode ficar no banco de reservas no clássico. "O São Paulo já teve situação de vir atrás e subir, vamos por isso. A comissão, atletas e a diretoria estão se ocupando para sair desse momento e trabalhando. Estamos esperando o próximo jogo para poder começar a vencer", disse o auxiliar Juan Branda, que comandou o time contra o Ceará.

O clube do Morumbi vai precisar de todos os reforços. O Corinthians defende um tabu enorme em seus domínios: são dez vitórias, quatro empates e nenhuma derrota ao longo de quase oito anos. No último confronto, o São Paulo arrancou um empate por 2 a 2, pela fase de classificação do estadual.

"Não vejo favorito. A gente sabe que são complicados os jogos desse tamanho. Não adianta muito o que você fez até o momento, se você foi campeão, se você vem de quatro ou cinco vitórias. Num clássico isso tudo pode ir por água abaixo. A gente chega confiante, de quem está em evolução", disse o lateral Fábio Santos.

A equipe de Sylvinho está em evolução. Embora esteja no meio da tabela, o treinador começa a dar corpo às suas ideias. Ele conseguiu montar um time seguro, com pegada no meio-campo e que potencializa a sua melhor opção ofensiva: as arrancadas de Gustavo Mosquito, o principal atacante da equipe. O jogador participou de cinco dos seis gols marcados sob o comando de Sylvinho. Foi ele quem sofreu o pênalti de Luccas Claro no empate diante do Fluminense.

A equipe corintiana ainda não sabe se poderá contar com Luan. Desfalque nos últimos três jogos, o meia finalizou o tratamento de uma tendinite no adutor da coxa esquerda e foi liberado. O chileno Araos está fora, pois recebeu o terceiro cartão amarelo diante do Fluminense.

Fábio Santos afirma que o time precisa melhorar sua campanha dentro de casa - a equipe perdeu para o Atlético-GO e o Bragantino e ganhou do Sport. "O tabu é importante, o torcedor valoriza, mas esse é o segundo passo. A gente quer somar pontos e melhorar no índice de pontos dentro de casa", afirmou.
Compartilhe