MMA

UFC

Norma Dumont, de BH, volta ao UFC neste sábado em busca de sequência

Em entrevista ao Superesportes, mineira falou sobre os planos

postado em 08/04/2021 09:01


De volta ao octógono do UFC neste sábado, em Las Vegas, a mineira Norma Dumont tem objetivos bem definidos para a carreira. Depois de vencer a primeira no peso galo (61,2kg), a lutadora de BH busca sequência para conquistar espaço na divisão. Ela vai enfrentar a norte-americana Erin Blanchfield, no card preliminar, que terá início a partir das 13h (de Brasília), com transmissão do Canal Combate.

Depois de finalizar o camping em BH ao lado do técnico e marido, Johnny Vieira, e do restante da equipe de preparação, Norma Dumont chegou confiante a Las Vegas, de onde conversou com a reportagem do Superesportes e comentou sobre os planos para a carreira no UFC. Primeiro, segundo ela, é conquistar a segunda vitória consecutiva e buscar espaço na divisão peso galo. 

Norma, de 30 anos, vem de vitória sobre Ashlee Evans-Smith, por decisão unânime dos juízes, em novembro de 2020, pela divisão dos galos. A mineira estreou no UFC na categoria dos penas (66kg), em fevereiro de 2020, e foi batida por Megan Anderson, última desafiante da campeã Amanda Nunes e que já deixou a organização. 

Depois de se recuperar, o pensamento de Norma Dumont, a Imortal, é buscar sequência positiva na divisão até 61,2kg. Contra uma lutadora jovem, mas com boa rodagem em eventos como Invicta, a belo-horizontina demonstra confiança e aposta na boa preparação. Diante de uma atleta que tem jiu-jítsu forte, ela quer usar bem a trocação para conquistar um triunfo convincente.

(Foto: Reprodução/UFC)


CONFIRA A ENTREVISTA COM A IMORTAL


Depois de se recuperar com boa atuação contra uma adversária mais experiente, agora você terá pela frente uma oponente jovem e que vai estrear no UFC. Há alguma forma de aproveitar essa questão de nervosismo da estreia, ou acha que não faz diferença?
 
Norma: Eu acredito que como já estive na posição da Erin, sei que é tudo muito novo, né? Porém, ela vem do Invicta, que é grande, tem mais lutas de MMA do que eu. Acredito que ela está em uma posição mais confortável do que quando eu cheguei no UFC, já está um pouco mais acostumada com isso. Pode ser que ainda seja uma pressão, porque querendo ou não é o maior evento do mundo, mas eu acredito que ela já esteja um pouco mais acostumada.
 
Contra Ashlee Evans-Smith você mostrou equilíbrio e dominou a luta. O fato de enfrentar uma estreante no UFC modificará a estratégia?
 
Norma: Não. Na verdade, contra a Ashlee eu lutei da forma como eu treino, que é controlando distância, movimentando. Contra a Megan, eu entrei com um pouco mais de adrenalina. Então acredito que a atuação vai ser, talvez um pouco mais agressiva, por agora eu estar um pouco mais confortável dentro do octógono, conseguindo soltar meu jogo, mas ainda assim inteligente, controlando e golpeando nas brechas que eu encontrar.
 
Você enfrentaria Bea Malecki, que deixou o card e foi substituída por Erin Blanchfield. Como você encarou essa mudança em meio ao camping de preparação?
 
Norma: Eu confesso que foi tranquilo porque eu consigo jogar bem nas duas áreas, tanto cercando para derrubar, que era o jogo que provavelmente eu faria contra a Malecki, quanto movimentando, defendendo quedas e batendo na longa distância. Fiquei um pouco frustrada, porque eu queria mesmo enfrentar a Malecki, que é uma atleta grande e da minha divisão originalmente. Mas mesmo trocando a estratégia, me sinto tranquila. Porque é um jogo que eu já fiz, inclusive a minha última luta foi esse jogo: movimentar, bater e defender queda. Vai ser um jogo parecido com o da Ashlee e dá pra aproveitar tranquilamente o camp.
 
Erin é jovem, mas veio do Invicta e já tem certa experiência no MMA. So que ela não luta desde julho do ano passado. Você vê uma possibilidade de levar vantagem no ritmo de luta?
 
Norma: Não. Ela é nova e talvez traga um pouco de inexperiência, mas não tem tanto tempo da última luta dela e ela vinha com uma boa sequência de lutas, então não está tão fora de ritmo. Acho que talvez o que pese mais para ela seja pegar uma luta sem um camp completo, numa divisão mais pesada que a dela, isso eu realmente acredito que possa prejudicá-la um pouco. 
 
Erin é da academia de Renzo Gracie, mas tem mais vitórias por pontos na carreira e só uma finalização. Você crê que a luta no chão será uma arma da adversária? Com isso, você pretende manter a ação em pé, na trocação? 
 
Norma: Com certeza, acho que ela vai tentar me derrubar. Até porque sou uma atleta grande, pesada, tenho golpes muito duros no alto, então não acho que ela vá querer trocar comigo, não. Sou muito mais experiente que ela na trocação, tenho um nível muito mais alto, mas ela vai ter um problema muito grande que é tentar me colocar no chão ou me segurar no chão. Eu vi o jiu-jitsu dela, é bom, ela controla bem as posições, mas não é melhor que o meu, não é um jiu-jitsu que me leva a perigo, então estou bem tranquila, pra mim não vai ser um problema a luta contra a Erin, não. Caso eu caia, não tenho problema nenhum em lutar no chão com ela.

(Foto: Reprodução/Instagram)

 
Você acha que evoluiu com esse camping? Pretende se mudar para os EUA no futuro?
 
Norma: Eu não consegui fazer o camp nos EUA, eu vim para cá na sexta-feira, dia 2. Cheguei na reta final só por conta do peso mesmo, por ser uma atleta pesada eu realmente tenho que chegar um pouquinho antes, e aí vim mais cedo para começar o corte com um pouco mais de tranquilidade. Fiz o camp todo na minha academia, com meu treinador, o Johnny Vieira, e o meu preparador físico Alê (Alves). Fiz tudo no Brasil com os meninos que treinam comigo.

Por enquanto, não pretendo me mudar para os EUA. Eu pretendo vir, fazer meus camps aqui, fazer uma parte de treino, que era a intenção fazer já, mas por conta da pandemia a gente não conseguiu, mas me mudar, por enquanto, não. 
 
Quais os planos em médio prazo para o UFC? Se firmar mesmo no peso galo, ou disputar lutas em outras divisões, até mesmo nos penas?
 
Norma: Me firmar no peso-galo. Antes, o único interesse que eu tinha no peso-pena era a revanche contra a Megan, mas ela saiu da organização, então eu não tenho mais interesse na categoria de cima. Agora, passando da Erin, quero pegar a Malecki e depois uma top 15 da categoria e ir escalando até o topo da divisão.
 
Logo, o acesso dos fãs aos eventos será permitido nos EUA. Você sente falta dessa atmosfera com público agitando a arena?
 
Norma: A gente sente muito, né? Porque é diferente estar lá dentro com o público. Lutar sem público parece um treino, é um pouco estranho, falta alguma coisa. Tenho certeza de que, quando voltar, a energia vai ser incrível, a galera vai estar vibrando muito e eu estou ansiosa para, depois dessa luta, já retornar com o público de novo. A adrenalina do público realmente é algo diferente.
 
E a torcida da família e dos alunos em BH? Como fica a saudade em tempos de pandemia e distanciamento?
 
Norma: A gente conversa muito por telefone, pelos grupos, manda mensagem. Mas infelizmente, no momento não podemos nos reunir. Cada um vê na sua casa, eles ligam um para o outro e assistem conectados. Assim que passar isso tudo, já combinei com um amigo que tem um sítio, que não importa quanto tempo já tenha passado, vamos fazer o churrasco que estão me devendo desde a luta da Ashlee. Logo, logo as coisas vão ficar mais tranquilas no Brasil.



UFC Vettori x Holland


Sábado,10 de abril
UFC Apex, em Las Vegas
Transmissão: Canal Combate (na íntegra)

CARD PRINCIPAL (16h de Brasília)

Marvin Vettori x Kevin Holland - peso médio
Sodiq Yusuff x Arnold Allen - peso pena
Sam Alvey x Julian Marquez - peso médio
Nina Ansaroff x Mackenzie Dern - peso palha
Mike Perry x Daniel Rodriguez - meio-médios

CARD PRELIMINAR (13h de Brasília)

Jim Miller x Joe Solecki - peso leve
Scott Holtzman x Mateusz Gamrot - peso leve
Norma Dumont x Erin Blanchfield - peso galo
John Makdessi x Ignacio Bahamondes - peso leve
Yorgan de Castro x Jarjis Danho - peso pesado
Hunter Azure x Jack Shore - peso galo
Luis Saldaña x Jordan Griffin - peso pena
Da Un Jung x William Knight - meio-pesados
Impa Kasanganay x Sasha Palatnikov - meio-médios

* Brasileiros no evento

Tags: mineira las vegas octógono UFC card preliminar peso galo Norma Dumont Imortal Erin Blanchfield