AMÉRICA

Lateral, meia ou atacante? Michel Bastos chega ao América como opção de versatilidade para Barbieri

Contratado pelo América, Michel Bastos pode exercer várias funções

postado em 23/05/2019 07:30 / atualizado em 23/05/2019 11:52

<i>(Foto: AFP PHOTO / JEFF PACHOUD )</i>
O lateral-esquerdo … ops, meia, ou atacante Michel Bastos chega ao América e já coloca um ponto de interrogação na cabeça do torcedor: qual é a verdadeira posição do jogador de 35 anos? O Superesportes conversou com jornalistas e analisou a carreira do polivalente atleta para matar de vez essa dúvida. O certo é que, agora, o técnico Maurício Barbieri passa a contar com uma opção de versatilidade e experiência no elenco.

Início versátil

Natural de Pelotas, no Rio Grande do Sul, Michel Bastos foi revelado pelo clube homônimo da cidade. Em seu primeiro clube, o jogador já mostrava características versáteis. Ele atuava em posições mais ofensivas e na lateral esquerda. 

Mas em 2001, Bastos chegou para as categorias de base do América. Ainda na base, o lateral-esquerdo fez parte do grupo campeão de um torneio na Holanda. Não chegou a fazer parte do elenco principall, mas como o Coelho tinha uma parceria com o Feyenoord, ele acabou indo para o clube holandês logo na sequência. No Feyenoord, atuou pelo time sub-19. Sem espaço na equipe principal, em 2003, o polivalente foi emprestado ao Excelsior, do mesmo país.

Em julho de 2003, Michel Bastos foi contratado pelo Athletico-PR para atuar como lateral-esquerdo. Após dez partidas com performances irregulares e sem ser aproveitado pelo técnico Mário Sérgio, o jogador foi emprestado ao Grêmio, em 2004, e Figueirense, em 2005. Pelo time catarinense, ele foi considerado um dos destaques da Série A do Campeonato Brasileiro. Mesmo em uma posição mais defensiva, Bastos marcou dez gols na competição, o que o levou a ser contratado pelo Lille-FRA, em junho de 2006.

Passagem pela França e afirmação como meia

<i>(Foto: AFP PHOTO / DENIS CHARLET)</i>


O início no Lille, um dos participantes da Liga dos Campeões, não foi dos melhores para Michel Bastos. O jovem de 23 anos teve dificuldade para se adaptar e era constantemente criticado pela imprensa francesa. As principais observações eram sobre a deficiência do brasileiro ao defender. 

A solução encontrada pelo técnico Claude Puel foi avançar Michel Bastos ao meio-campo. Em sua terceira e última temporada pelo Lille, o brasileiro foi o artilheiro do time com 16 gols. Naquele ano, o camisa 8 acompanhou de perto os primeiros passos do belga Eden Hazard, atualmente no Chelsea-ING e um dos melhores do mundo.

Destaque no Lyon

Já consolidado como um dos principais jogadores atuando na França, em julho de 2009, Michel Bastos foi vendido ao Lyon por 18 milhões de euros "(aproximadamente R$ 49 milhões pelos valores da época). O brasileiro chegou para suprir a saída do compatriota Juninho Pernambucano, que havia se transferido para o Oriente Médio. 

Na primeira partida de Bastos na Liga dos Campeões pelo Lyon, ele apresentou seu cartão de visitas com um gol e uma assistência na goleada por 5 a 1 sobre o Anderlecht-BEL. O brasileiro alternou entre o meio-campo e o ataque e terminou a temporada com 15 gols marcados. O camisa 7 foi o vice-artilheiro do time, ficando atrás apenas do argentino Lisandro López, que balançou as redes 24 vezes.   

Primeira convocação e volta à origem na Copa do Mundo

<i>(Foto: AFP PHOTO / ANTONIO SCORZA )</i>


As boas atuações pelo Lyon credenciaram Michel Bastos a ser convocado pelo técnico Dunga para a Seleção Brasileira, em 2009. Entretanto, com a “amarelinha”, o jogador voltou a atuar em sua posição de origem: a lateral esquerda, onde disputava posição com Gilberto, do Cruzeiro. 

A estreia de Michel Bastos foi como titular na vitória do Brasil por 1 a 0 em amistoso contra a Inglaterra. O primeiro e único gol veio pouco mais tarde, em seu quarto jogo, na goleada por 3 a 0 sobre o Zimbábue. 

Mesmo atuando no meio-campo do Lyon, o técnico Dunga insistiu em levar Michel Bastos como lateral-esquerdo para a Copa do Mundo de 2010, disputada na África do Sul. O jogador foi titular em todas as partidas até à eliminação por 2 a 1 para Holanda, nas oitavas de final. 

Saída do Lyon

Em 2012, Michel Bastos sofreu com algumas lesões e teve problemas com presidente do Lyon, Michel Aulas. O mandatário acusou o brasileiro de escolher as partidas que iria atuar. Posteriormente, o jogador publicou em seu perfil no Twitter que “preferia sair para não atrapalhar mais”.

Com a situação já apaziguada, mas ainda sendo especulado em times fora da França, Michel Bastos anunciou que preferia continuar no Lyon. Entretanto, no mês seguinte, foi emprestado por um ano ao Schalke 04-ALE, com opção de compra. 

Chegada ao Oriente Médio e passagem pela Roma

A passagem de Michel Bastos pelo clube alemão foi boa, mas durou apenas 16 jogos. Com o fim do empréstimo, o Schalke 04 optou por não desembolsar o valor pedido pelo Lyon, e Michel Bastos se transferiu para o Al Ain, dos Emirados Árabes Unidos, em agosto de 2013.  

Longe dos holofotes no futebol árabe, Michel Bastos foi emprestado à Roma. Mas, com uma passagem apagada pela Itália, o jogador acabou retornando ao Brasil para defender o São Paulo. 
 
Retorno ao Brasil

Em agosto de 2014, mais experiente e afastado da lateral, Michel Bastos chegou ao São Paulo. O meio-campista atuou no Tricolor por três anos, sendo o último mais conturbado. Após rescindir seu contrato e ficar livre no mercado, transferiu-se para o rival Palmeiras. 

No clube alviverde, Michel Bastos passou a alternar entre a ponta direita e a lateral esquerda. Com a chegada de reforços para o meio-campo do Palmeiras, o jogador acabou sendo reserva imediato do lateral Zé Roberto, que estava perto de se aposentar. 

Em 2018, defendeu o clube em apenas seis jogos, todos na lateral esquerda. O camisa 15 sempre reafirmava a vontade de atuar como meio-campista, sendo que, na posição de origem, havia perdido espaço para Victor Luis e Diogo Barbosa.

A passagem pelo clube alviverde durou até abril de 2018, quando Michel Bastos foi emprestado ao Sport. 

Empréstimo ao Sport

<i>(Foto: Peu Ricardo/DP)</i>


Bastos chegou ao Sport com a missão de substituir à altura o meia Diego Souza. A torcida tinha grandes expectativas sobre o jogador, que correspondeu nos primeiros jogos. O Superesportes escutou dois jornalistas pernambucanos que acompanhavam o dia a dia do Leão e relataram como foi a passagem dele pela Ilha do Retiro. 

O jornalista Daniel Leal classificou a passagem do meia como “frustrante”. Ele relembrou as expectativas geradas na torcida pela contratação de Michel Bastos, mas que não foram correspondidas dentro de campo. O repórter também explicou como o atleta atuava. 

“A passagem de Michel Bastos pelo Sport foi frustrante. Foi um retrato degradante do que o time foi na Série A. A torcida esperava do jogador liderança técnica, um substituto para Diego Souza. Entretanto, Michel foi pivô de polêmicas. Cobrava com veemência da diretoria os salários atrasados. Dentro de campo, ele não conseguiu corresponder ao nível da Série A. Tinha intensidade no primeiro tempo, mas caía no segundo. Foi uma passagem frustrante. Ele atuou como ponta esquerdo, mas não funcionou. Em algum momento chegou a cumprir a função de lateral, mas não conseguiu por questões físicas. Atuou mais como meia, armador, onde teve lapsos, chegou a marcar gols, dar assistências, e até contribuiu em determinados momentos, mas foram raros”, explicou. 

O jornalista Brenno Costa também criticou a passagem de Bastos pelo Sport. “Michel Bastos chegou com expectativa muito grande ao Sport. Foi o principal nome da diretoria para ocupar a lacuna deixada por Diego Souza. Foi nome de peso nacional e pelo seu currículo, gerou boas expectativas na torcida. Até teve um início bom, na estreia contra o Corinthians, saiu do banco e entrou bem, fez inversões de bola, bons passes”, disse.

Brenno também falou sobre as funções de Michel dentro de campo. “Michel Bastos chegou a atuar até como falso 9 com Milton Mendes. Já jogou aberto pelo lado direito, como armador, mas a passagem não foi boa. Ele conseguiu fazer diferentes funções. Gostava de atuar mais pelos lados”.   

Michel Bastos defendeu a equipe pernambucana em 23 jogos e marcou 4 gols. No fim da disputa da Série A de 2018, em novembro, o atleta sofreu uma uma lesão no músculo adutor da coxa direita e não entrou em campo desde então. 

Chegada ao América

Nessa quarta-feira, o América anunciou ter chegado a um acordo com Michel Bastos. O jogador chega a Belo Horizonte nesta sexta-feira para realizar exames e assinar contrato. O vínculo durará até o fim da Série B do Campeonato Brasileiro.

Tags: selefut alemanhafut futinternacional futnacional francesfut lille lyon schalke roma figueirensesc gremiors atleticopr saopaulosp palmeirassp serieb interiormg americamg