SANTA CRUZ

Funcionando só no Estadual, ataque do Santa Cruz preocupa com um gol em quatro jogos

Tricolor é o único time entre os 16 que disputam a Copa do Nordeste deste ano que ainda não balançou a rede na competição regional

postado em 07/02/2020 11:08 / atualizado em 07/02/2020 11:20

(Foto: Peu Ricardo/DP Foto)
A estreia do Santa Cruz na temporada, a vitória por 3 a 0 sobre o Petrolina, no Arruda, pelo Campeonato Pernambucano, deixou uma boa impressão pelo poder de fogo do seu ataque, que garantiu o resultado logo no primeiro tempo. Mas depois daquela partida, os gols do Tricolor foram minguando. E o otimismo com a linha de frente deu lugar à preocupação, devido à baixa produtividade. Nos últimos quatro jogos, o time coral marcou apenas uma vez, de pênalti.
 
Com seis gols em seis jogos disputados na temporada, o Santa Cruz tem média de um por partida. Pipico, com três, é o artilheiro da equipe e único a marcar mais de uma vez. Todos os gols foram em partidas válidas pelo Estadual. E aí vem o alerta: O time é o único entre os 16 participantes do Nordestão que ainda não balançou a rede pela competição regional. Na estreia, contra o Bahia, o Tricolor empatou em 0 a 0 no Arruda. Na segunda rodada, perdeu para o CRB em Alagoas por 1 a 0.
 
Pela Copa do Brasil, o Santa Cruz não precisava fazer gols para avançar à segunda fase e garantir a premiação de R$ 650 mil. E empatou em 0 a 0 com o Operário Varzeano, fora de casa. Dever cumprido, mas com ressalvas, devido à fragilidade do adversário (quarto colocado do Campeonato Mato-Grossense com um jogo a mais que metade dos adversários), que pressionou a Cobra Coral no segundo tempo.
 
Não foi a primeira vez que o Santa Cruz não conseguiu construir um bom resultado contra um time bem mais frágil. Uma partida antes, quando recebeu no Arruda o Vitória das Tabocas (oitavo colocado do Campeonato Pernambucano, com um ponto em quatro jogos), a equipe atuou com um jogador a mais desde os 39 minutos do primeiro tempo. Mesmo assim, só balançou a rede uma vez, com Pipico convertendo um pênalti.

O outro lado

É bem verdade que, se o ataque vem sendo pouco produtivo, a defesa tricolor está fazendo a sua parte. Em seis jogos, sofreu apenas dois gols (um do CRB e um do Retrô). Está entre as quatro menos vazadas do Grupo B do Nordestão, com um gol sofrido (ao lado de Náutico, Confiança e Vitória-BA) e é a menos vazada do Pernambucano, com um gol sofrido.
 
Agora, neste sábado, ataque e defesa do Santa Cruz terão seu maior desafio na temporada: o duelo contra o Fortaleza, pela Copa do Nordeste, fora de casa. E para não se complicar na luta por uma das quatro vagas para a próxima fase, o Tricolor pernambucano, atualmente na vice-lanterna do grupo, vai precisar que os dois setores façam sua parte.