SPORT

Gestão, verbas, eleição e atletas com ofertas: Laércio Guerra avalia passagem no Sport

Vice de futebol do Sport detalhou que próxima gestão terá dinheiro de vendas

postado em 06/12/2018 15:55 / atualizado em 06/12/2018 17:29

Peu Ricardo/DP Foto
O início da gestão de Laércio Guerra como vice-presidente de futebol foi justamente na reta final da temporada do Sport. Chamado de emergência, na terceira troca do comando do departamento de futebol do clube na temporada, ele assumiu a missão de liderar o Leão nas últimas 12 rodadas na Série A. Como primeiro ato, carimbou a contratação do técnico Milton Mendes e iniciou a tentativa de reação rubro-negro, que acabou travada na última rodada com o rebaixamento.

Em entrevista ao Superesportes, o empresário detalhou a gestão. Novamente, defendeu o presidente do executivo Arnaldo Barros, citou jogadores da base que surgiram na reta final e que já têm propostas além de explicar detalhes financeiros de atletas negociados nesta temporada e a falta de pagamento de salários, que chegou a quatro meses de atraso. Confira abaixo. 

Balanço do trabalho

“Nossa gestão assumiu para 12 rodadas e conseguimos levantar um time que era dado como rebaixado. Tivemos um aproveitamento de 50%, que era o suficiente para se classificar para a Libertadores (o Atlético-MG, 6º colocado e último classificado, teve 51,8%). Acredito que se o trabalho de Milton Mendes tivesse sido iniciado anteriormente, com 15 rodadas, nós teríamos escapados do rebaixamento. Se ouviu também dos próprios jogadores que o time caiu não foi por falta de pagamento ou empenho. Foi feito o que era possível. Temos um goleiro que ganhou espaço na minha gestão, um zagueiro novo que foi lançado na minha gestão (Adryelson) e ainda Jadson, que sequer estreou e já tem proposta. De maneira que eu vejo como uma gestão positiva.” 

Defesa da gestão de Arnaldo Barros

“Eu defendo toda gestão que há verdade. Não tenho dúvida que Arnaldo Barros fez um trabalho sério e vai entregar o clube com as dívidas assumidas pagas, inclusive com os débitos de outras gestões que foram negociados e parcelados. O que levou agora a não-candidatura da situação foi uma questão política que se colocou antes mesmo da eleição dele. Em relação ao futebol, foram feitas escolhas anteriores de treinadores que não tiveram o trabalho de agregar e que acabou de alguma maneira afetando no desempenho.” 

Pagamentos de salário e empréstimos próprios

“Essa é uma questão da presidência do executivo, que está sendo tratada até o fim do mês de dezembro. Existem verbas que irão entrar e também houveram problemas, como o bloqueio de parte da venda de Diego Souza e a não totalidade do recebimento do patrocínio da Caixa. As questões estão tratadas de maneira aberta. Inclusive, acredito que todas serão resolvidas e pagas como, e isso já é público, o empréstimo que tanto eu fiz quanto o Gustavo Dubeux e (Aluísio) Maluf.”

Everton Felipe, Diego Souza e André: jogadores negociados

Peu Ricardo/DP Foto
“A próxima gestão terá valores a receber. O Diego Souza foi comprado por R$ 1 milhão e acabou negociado por R$ 10 (milhões). Tem R$ 5 milhões que estão retido na Justiça, mas que, no mínimo, a maior parte será liberada. A gestão também comprou André por R$ 2,5 milhões e vendeu por algo próximo de R$ 9,5 milhões, com valores ainda a serem recebidos na próxima gestão. Ainda tem o caso de Everton Felipe em que o São Paulo pagou R$ 3 milhões pelo empréstimo e que precisará pagar mais R$ 3 milhões agora em dezembro se quiser exercer o direito de compra. Do contrário, o jogador retorna para o Sport sem qualquer ônus. Também temos o retorno do empréstimo de Lenis, que é um patrimônio do clube.” 

Adryelson, Mailson e Jadson com propostas

“Nós temos também jogadores da base com propostas, que nós não vamos levar adiante no momento por conta das eleições. Adryelson tem uma proposta formalizada que vamos entregar em mãos. Também já tivemos procura por Mailson e Jadson, que é um menino da base e que ainda não estreou. Sobre Adryelson, não tem nada a ver com uma oferta da Atalante, mas a procura de um grupo alemão que está interessado no jogador.”

Transição e jogadores para renovar 

“Nós estamos abertos para conversar. A gestão de Milton Bivar, inclusive, já passou uma lista com o nome de jogadores que interessa para o próximo ano. Aluísio Maluf está com ela em mãos. Já a gestão de Eduardo Carvalho não nos passou nada ainda, mas também estamos de portas abertas para receber.”