CAMPEONATO PERNAMBUCANO 2018

Em parceria com o Porto, Flamengo mira ficar entre os quatro primeiros do Pernambucano

Com folha salarial girando em torno de R$ 60 mil, o Flamengo de Arcoverde aposta em uma mescla de jovens jogadores para o estadual deste ano

postado em 17/01/2018 08:30 / atualizado em 17/01/2018 09:46

Divulgação/FPF
Sem medo de sonhar, o Flamengo de Arcoverde chega para disputar o Campeonato Pernambucano com grandes ambições. Apoiando-se em uma parceria com o Porto de Caruaru e inspirado pela vaga conquistada para representar Pernambuco na Série D do Brasileiro desta temporada, o Tigre projeta um crescimento de patamar e alcançar o mesmo status de força do futebol do interior do estado, espelhando-se no caso de sucesso do rival Salgueiro.

Obstinado, o jovem Olavo Bandeira, farmacêutico e presidente do clube aos 38 anos, esbanja vontade de realizar um bom trabalho à frente do Flamengo e traça metas ambiciosas. “Não vamos entrar para brincar. No mínimo, queremos ficar entre os quatro primeiros colocados.” Mas reconhece que há um risco de sonhar tão alto e brinca. “Já pensou se eu digo isso e o clube é rebaixado? O quanto eu não vou ser cobrado?”

Parceria

Tamanha confiança vem de uma base forte de trabalho. Há três anos, o Tigre realiza uma parceria que vem rendendo bons frutos ao lado do Porto, clube de Caruaru vice-campeão da primeira divisão em 1998. O Gavião hoje disputa a segunda divisão estadual e tem como principal atividade a formação de atletas - responsável por revelar jogadores de destaque como Josué, Araújo e o jovem Rômulo. Os caruaruenses cedem estrutura física do centro de treinamentos, alojamento e atletas ao Flamengo. Em contrapartida, mantém seus jogadores em exibição para o mercado, disputando um campeonato de maior visibilidade.

“Quando fomos campeões da segunda divisão (em 2016), já tínhamos essa parceria. A gente manteve no ano passado e conquistamos a vaga na Série D (como campeão do hexagonal do rebaixamento). Com isso, o Porto tem revelado jogadores que estão indo para outros clubes na Bahia e no Rio de Janeiro. Uma mão lava outra”, explica o presidente Bandeira.

Estrutura

Em meio ao forte período de seca que castiga o interior do estado e, consequentemente, prejudica na manutenção dos gramados de futebol na região, o Flamengo ostenta com orgulho um gramado em bom estado e já ajustado à demarcação oficial para o campeonato. Além disso, o estádio Áureo Bradley, que tem capacidade máxima para comportar 3 mil torcedores, atravessa reformas de pintura e adequação da estrutura física, com a construção de uma área exclusiva de acessibilidade a torcedores portadores de deficiência.

Divulgação/FPF
“Nosso gramado no ano passado foi eleito um dos melhores do campeonato e nós mantivemos o mesmo nível. Certamente será um dos melhores do campeonato, se não o melhor”, garante Bandeira, que revela ainda como é o trabalho de cuidado com a cancha. “Nós temos três poços no campo, que dão uma boa quantidade de água, e a prefeitura também nos ajuda fornecendo água. São 80 mil litros de água para regar o gramado.”

Elenco

Com uma folha salarial girando em torno de R$ 60 mil, uma das mais modestas do campeonato, o Flamengo aposta em uma mescla de jovens jogadores, muitos deles cedidos pelo Porto, e de atletas experientes, com rodagem no campeonato estadual. Os volantes Vagner Rosa, ex-Náutico e Santa Cruz, e Naldinho, ex-Sport, são os nomes mais conhecidos. O pensamento da formação não se restringe apenas ao estadual, mas também mira a disputa da Série D, onde o clube fará a sua primeira participação.

“O Porto cedeu alguns jogadores e nós fomos buscar outros no mercado. Vamos começar com esses. Durante a competição, veremos algumas posições que precisam se reforçar. Já é um elenco que pensamos no segundo semestre”, aponta Bandeira.

Técnico

O Flamengo é o único clube da competição com um estrangeiro no comando técnico. O português Daniel Neri conhece bem o futebol pernambucano, onde trabalha desde 2012. Daniel passou pelo Porto de Caruaru e pelas categorias de base do Sport, onde conquistou os resultados mais expressivos da carreira, sendo semifinalista da Copa do Brasil Sub-20. Após deixar o Leão em fevereiro do ano passado, Daniel voltou para a Europa e só retornou ao Brasil a convite do presidente Olavo Bandeira para comandar o Tigre.

Trabalhando a pré-temporada desde o dia 5 de dezembro, o técnico tem bem em mente a filosofia de jogo que espera da sua equipe. “Fazer jogos com qualidade para a torcida se agradar do nosso time. A gente vai jogar o jogo possível. Defender quando tiver que defender, atacar quando tiver que atacar. Naturalmente, nos jogos em casa ficam mais agradáveis. Um jogo mais bem jogado, com toque de bola para ela chegar de pé em pé.”

O treinador também ressalta a importância da parceria com o Porto. “Conheço bem o clube, que cede todo o espaço, todo o patrimônio à nossa disposição. Facilita porque é uma estrutura muito boa. Da região, o Porto é um dos melhores e nos dá uma qualidade muito boa para trabalhar”, afirma Daniel.

Estreia

A cidade de Arcoverde vive uma grande expectativa para o início do Campeonato. Logo na estreia, o Flamengo receberá o Sport, atual campeão do torneio. Será a primeira vez que a cidade terá uma transmissão de futebol ao vivo para a TV. “Temos expectativa de casa cheia. Vai ser o jogo do ano para o Flamengo, como uma final de campeonato. Imagina começar ganhando do Sport? Vai dar muita moral”, vislumbra Bandeira.

Apesar de conhecer bem a filosofia de trabalho do adversário, o técnico Daniel Neri espera um time bem diferente do que conviveu no ambiente interno. “As coisas vão mudando. Nenhum clube permanece igual de um ano para o outro, alguma coisa muda. O Sport que vai jogar aqui não é o Sport que eu conhecia. Agora é novo, peças novas, um time que está se preparando para disputar um jogo difícil, com atletas de muita qualidade, mas é um jogo de onze contra onze. O foco para mim, é ganhar o jogo.”