NÁUTICO

Presidente do Náutico nega que confusão entre facções tenha ocorrido na sede do clube

Edno Melo afirma não ter conhecimento da presença de organizadas nas dependências do Timbu: 'se existiu não foi com o consentimento do clube'

postado em 12/06/2019 11:17 / atualizado em 12/06/2019 11:34

<i>(Foto: Júlio Jacobina/DP)</i>
Algumas horas após o confronto entre integrantes de uniformizadas rivais que voltou a assustar os moradores do bairro dos Aflitos, o presidente do Náutico, Edno Melo, negou, na manhã desta quarta-feira, que tenha havido invasão à sede do clube. Segundo ele, toda a confusão aconteceu do lado de fora, na rua da Angustura, após uma tentativa de invasão. "Não foi na sede, foi fora. Dentro da sede, não. Foi tentando entrar. Mas não chegaram a entrar. Graças a deus, porque poderia ter sido pior", disse.

Questionado se havia integrantes de uma facção dentro da sede do Náutico (supostamente ligada ao CRB, time que na terça-feira à noite jogou contra o Sport na Ilha do Retiro) antes da tentativa de invasão, o presidente alvirrubro não soube informar. "Eu não vi. Foto, imagem, não vi torcedor nenhum. Não duvido, mas não vi. Não estou dizendo que não existiu, mas se existiu não foi com o consentimento do clube", argumentou. 

Edno Melo aproveitou para pedir uma mobilização do poder público contra a violência provocada pelas organizadas. "A gente estava revitalizando a sede, estou fechando a entrada de carros e de pedestres, para controlar o acesso à sede, mas é impossível fazer isso só. Não tem como um dirigente de futebol assumir essa briga sozinho com um bando de marginais. Se o Ministério Público, a Polícia Militar, a Federação Pernambucana de Futebol e o Governo do Estado não botarem a mão na consciência e tratarem o assunto com a seriedade e a gravidade que tem, isso vai acontecer sempre."

Por fim, o dirigente confirmou que houve depredação à sede do Náutico, mas ainda não sabe informar o tamanho do prejuízo. "Quebraram um portão de acesso, houve prejuízo sim. Mas ainda estamos levantando os custos." 

Histórico

A confusão da última terça-feira foi a segunda causada por tentativa de invasão à sede do Náutico. No dia 15 de janeiro, na rodada de abertura do Nordestão, houve um incidente parecido antes do duelo do Náutico contra o Fortaleza. Integrantes de uma organizada cearense (supostamente apoiada por uma que usa as cores do Santa Cruz) que estavam sendo escoltados pela Polícia Militar tentaram entrar no clube alvirubro no momento em que passavam perto dos Aflitos. Houve pancadaria e correria.