NÁUTICO

Gilmar Dal Pozzo mantém mistério no time do Náutico, mas confirma ausência de titular

Para treinador, única dúvida é a presença de zagueiro Camutanga, mas ele não revelou o time e confirmou ausências de Matheus Carvalho e Paulinho

postado em 23/08/2019 12:39 / atualizado em 23/08/2019 12:45

<i>(Foto: Paulo Paiva/DP Foto)</i>
Prestes a fazer o Clássico das Emoções que pode valer o primeiro lugar do Grupo A para o Náutico, o treinador alvirrubro concedeu entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira. Apesar de confirmar que sua única dúvida para o jogo de amanhã é a presença do zagueiro Camutanga, Gilmar Dal Pozzo fez questão de esconder o time e de não revelar se poupará jogadores. O técnico também confirmou a ausência de dois jogadores para o confronto: Paulinho e Matheus Carvalho.

Na entrevista, Gilmar Dal Pozzo reafirmou a importância do jogo para o Náutico, que valoriza a briga pela liderança do Grupo A. Assim, ele optou por manter a estratégia de esconder a escalação alvirrubra. Assim, segue a dúvida sobre se jogadores como Thiago e Wilian Simões serão poupados do confronto.

"Faz parte do processo também, nesse momento, pela importância que é o clássico criar alguma dúvida, não é nem para o torcedor, nem para vocês, mas para o adversário. Então existe essa dúvida e ela vai ficar até o final, a questão não só do Thiago, de outros atletas".

Dal Pozzo ainda ressaltou que, mesmo escondendo a escalação, os jogadores já sabem qual será a equipe alinhada para o último confronto da Série C. O treinador também confirmou dois desfalques da equipe alvirrubra e ressaltou que uma dúvida na escalação.

"Paulinho e Matheus (Carvalho) estão fora do jogo, não vão poder participar, os outros estão todos à disposição (...) O Camutanga, eu vou decidir hoje se vai ou não, ainda é a única dúvida que eu tenho, se vai ser relacionado ou se vai jogar. Os demais vão participar".

O treinador alvirrubro também falou sobre o processo de decisão sobre a montagem da equipe. Ele disse que o treinador precisa estar em paz para se decidir sobre poupar ou não os atletas.

"Eu procurei não tomar essa decisão no início da semana, porque eu teria o tempo a meu favor para tomar essas decisões, porque eu não podia tomar uma decisão em cima de emoção (...) O sentimento do torcedor que é o mesmo do técnico, que ele quer ir para o jogo, ganhar o jogo porque vale liderança. Então esse é o primeiro sentimento, o outro é ponderar, é saber que tem uma sequência importante na competição".