NÁUTICO

Em jogo de tempos distintos, Náutico bate Juventude nos pênaltis e vai à final da Série C

Timbu fez grande primeira etapa, mas caiu na segunda; nos pênaltis deu 4 a 3 para a equipe alvirruba

postado em 22/09/2019 19:57 / atualizado em 22/09/2019 21:16

<i>(Foto: Bruna Costa/Esp Foto DP )</i>
Pode-se dizer que os torcedores viram duas posturas diferente do Náutico na noite deste domingo no estádio nos Aflitos - mas ao fim sorriu, que é o mais importante. Após um grande primeiro tempo em que marcou dois gols com Álvaro, o Timbu caiu de rendimento na etapa complementar e sofreu um gol do Juventude. Nas penalidades máximas, deu a equipe alvirrubra por 4 a 3, com destaque para Jefferson com uma defesa. 

 

Agora, o Náutico se prepara para enfrentar o Sampaio Corrêa, nos Aflitos, no próximo final de semana, pelo confronto de ida da final da Terceirona - como a soma de pontos segue mesmo após o fim da primeira fase, a equipe maranhense ultrapassou o Timbu durante o mata-mata e, assim, o confronto será decidido no Castelão.

 

O jogo em Recife ainda não tem data marcada, mas a tendência é que seja neste sábado, às 17h, por conta da grade de televisão da detentora dos direitos de transmissão. 

 

O JOGO

 

O Náutico começou a partida com três mudanças em relação ao jogo de ida, sendo duas delas na zaga. Camutanga, suspenso, deu lugar a Diego Silva, que retornou de suspensão, enquanto a opção por Rafael Ribeiro na vaga de Fernando Lombardi foi opção técnica. A outra foi no ataque: Neto Pessôa foi sacado para a entrada de Wallace Pernambucano, deslocando, assim, Álvaro para a ponta do ataque.

 

Precisando do resultado, o Timbu tentou uma pressão inicial com passes em profundidade. Primeiro, Wallace recebeu de Jhonnatan e tentou driblar Marcelo Carné, mas esbarrou no goleiro. Em seguida, Jean Carlos e Josa acionaram Álvaro pela esquerda, que em ambos os casos parou no camisa 1.

 

E, de tanto o Náutico apostar em jogadas com Álvaro, conseguiu resultado, sendo que dessa vez pelo alto. Jhonnatan cruzou da direita para o atacante que, livre, cabeceou sem chances de defesa. 

 

Timbu na frente. Vantagem esta, aliás, que quase durou pouco. Isso porque dois minutos depois do gol alvirrubro, aos 19, o Juventude teve um pênalti a seu favor. Diego Silva tentou afastar a bola e derrubou Rafael Bastos na área. Na bola, Eltinho bateu na trave.

 

A chance foi a melhor do Juventude no primeiro tempo, que seguiu tendo domínio do Náutico mesmo após ter aberto o placar, com boa movimentação de Matheus Carvalho, Jhonnatan e Wallace Pernambucano, além de Jean Carlos participativo, como de costume. E o segundo gol saiu naturalmente. Aos 32 minutos, Jean cobrou escanteio e Álvaro subiu mais que a defesa para testar para o fundo das redes.

 

SEGUNDO TEMPO

 

Com o placar que daria a vaga alvirrubra à final, foi a vez de Jefferson entrar em ação na etapa complementar. Isso porque o Timbu passou a ter uma postura mais retraída, uma vez que o Juventude foi para cima, mas parou três vezes no goleiro alvirrubro, todas elas em chutes de Breno.

 

Com o crescimento da equipe gaúcha, o técnico Gilmar Dal Pozzo fez uma mudança conservadora. O volante Jiménez entrou na vaga de Wallace. Com a troca, o Náutico perdeu força ofensiva e não conseguiu impedir o ímpeto do adversário, que, depois de martelar, conseguiu chegar ao gol. O zagueiro Genílson recebeu cruzamento da direita e cabeceou sem chances para Jefferson.

 

Após uma grande apresentação na etapa inicial, o Timbu não conseguiu controlar o jogo na etapa complementar e muito menos ser efetivo na frente, exceto por um chute de fora da área de Jefferson Nem na trave nos acréscimos do jogo.

 

Pênaltis

- Náutico: Jiménez, Josa, Maylson e Matheus Carvalho fizeram; Álvaro perdeu
- Juventude: Eltinho, Genilson e Braian fizeram; Jefferson defendeu o de Denner e Dalberto bateu para fora

 

FICHA DO JOGO

Náutico 2

Jefferson; Hereda, Diego Silva, Rafael Ribeiro, Wilian Simões; Josa, Jhonnatan (Jefferson Nem), Jean Carlos (Maylson); Matheus Carvalho, Wallace Pernambucano (Jiménez) e Álvaro. Técnico: Gilmar Dal Pozzo

 

Juventude 1

Marcelo Carné; Vidal, Genílson, Sidimar e Eltinho; João Paulo, Aprile (Dener) e Rafael Bastos (Braian Rodríguez); John Lennon, Gabriel Poveda (Breno) e Dalberto. Técnico: Fahel

 

Local: Estádio dos Aflitos

Árbitro: Braulio da Silva Machado-SC

Assistentes: Helton Nunes-SC (1) e Eder Alexandre-SC (2)

Gols: Álvaro 2 (N); Genílson (J)

Cartões amarelos: Diego Silva (N); Sidimar, Breno, Rafael Bastos (J)

Público: 13.084

Renda: R$ 249.139,00