NÁUTICO

Vice-presidente do Náutico vê 'retaliação covarde' da Polícia Militar em jogo ante Juventude

Na quinta-feira, confronto havia sido adiado por baixo efetivo da PM, que o Náutico conseguiu reverter via liminar; órgão se pronunciou via nota

postado em 22/09/2019 22:45 / atualizado em 22/09/2019 23:14

<i>(Foto: Léo Lemos/ CNC)</i>
Após a vitória nos pênaltis do Náutico sobre o Juventude que deu a classificação do time à final da Série C, o vice-presidente do clube, Diógenes Braga, ficou na bronca com a Polícia Militar de Pernambuco (PMPE). Isso porque, para ele, o órgão esteve em baixo número no estádio dos Aflitos como forma de ‘retaliação covarde’. O dirigente também elogiou o comportamento da torcida e a Guarda Municipal. 

“Fomos vítimas hoje de uma retaliação covarde, de um biquinho de uma entidade muito importante para a sociedade. E a compreensão da torcida em ter comportamento foi fundamental. Então o clube Náutico está vindo aqui agradecer o comportamento. Igualmente, o clube vem agradecer à Guarda Municipal. Vieram aqui e, apesar de um efetivo pequeno, se desdobraram. Vou até fazer uma brincadeira. Acho que a guarda municipal correu mais do que alguns em campo para se desdobrar”, disse o dirigente. 

“E apesar de talvez não ser adequado eu preciso dizer. Se no próximo jogo a Polícia Militar ficar de biquinho não precisa vir. A torcida do Náutico e a Guarda Municipal conseguem manter a ordem do jogo”, concluiu Diógenes.

<i>(Foto: Tarciso Augusto/ DP Foto)</i>


Na última quinta-feira, o Ministério Público de Pernambuco solicitou o adiamento do confronto por conta do show de Bon Jovi, marcado para esta mesma data, no estádio do Arruda. M

A reportagem do Superesportes procurou a PMPE, que se pronunciou via nota explicando que fez o patrulhamento do estádio e precisou rever toda a sua logística tendo em vista os eventos deste final de semana no estado. Confira:

"Com a decisão judicial do retorno do jogo Náutico x Juventude para hoje, o Náutico se comprometeu a contratar 200 seguranças, que fizeram a segurança interna dos Aflitos. A PM fez o patrulhamento externo do estádio, com viaturas, motos e policiamento a pé.

Como a decisão judicial final sobre a data do jogo só chegou ao conhecimento da PM no início da noite de sexta-feira, foi necessário rever toda uma estrutura que estava definida para escala do efetivo, não apenas para essa partida de futebol, mas para os inúmeros eventos que acontecem da capital ao Sertão, neste domingo".