Vôlei

CARREIRA

Posição nova, sonho renovado

Mineira Sassá troca de posição e tenta garantir lugar na Seleção que estará nos Jogos

postado em 28/11/2015 10:52 / atualizado em 28/11/2015 10:56

Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press
Com três edições de Jogos Olímpicos disputadas, uma medalha de ouro em Pequim’2008, a ex-ponteira Sassá, vive nova fase na carreira e, com ela, o sonho de voltar a disputar os Jogos Olímpicos, agora no Rio’2016. Jogadora do Brasília, ela passou a atuar como líbero, o que representa um desafio extra para a carreira.

Sassá começou a jogar no Olympic, de Barbacena, sua cidade natal. Acabou indicada para o Vasco, do Rio, quando este disputava a Superliga. Depois, defendeu o Rio de Janeiro por sete temporadas, Osasco, por três. Vestiu a camisa do polonês Gornicza por um ano, assim como a do Praia, de Uberlândia, quando entrou em quadra pela última vez como ponteira. A atleta admite a dificuldade na adaptação à mudança.

Como ponteira, tinha a confiança de treinadores, principalmente de José Roberto Guimarães, por ser uma exímia passadora. Quando ele convocava a Seleção, o primeiro nome era sempre o de Sassá, que participou de um grupo de jogadores e jogadoras que transformou o Brasil em potência nesse esporte. Ela e figuras como Paula Pequeno e Jaqueline, no feminino, Nalbert, Giba, Dante, no masculino, foram alguns dos responsáveis por o Brasil se tornar o número um do ranking mundial. “Sem passe, não há ataque. Além disso, provoca o desgaste das levantadoras”, é o pensamento tanto de Zé Roberto quanto de Bernardinho.

Se tem sido difícil, ela enxerga o desafio como estimulante. “Agora sou mais exigida. Não posso errar. A recepção depende de mim. Antes, como ponteira, passava, sempre de um lado da quadra, mais o esquerdo. Mas, agora, tenho de fazer o fundo de quadra todo. É o que esperam de mim. A bola tem de chegar na mão da levantadora.”

RECOMEÇO Sassá conta que teve isso demanda reaprendizado. “No início da preparação, foi muito difícil. Tinha hora, num treino, que até atacava, quando a bola sobrava. Esquecia. Estou mais adaptada. Sei que tenho muito a aprender. Estou me esforçando ao máximo.”

A nova posição despertou em Sassá o sonho de disputar a Olimpíada. “Eu gostaria muito de ir aos Jogos Olímpicos. Ter novamente a oportunidade de uma medalha. Seria a minha segunda. Sei que é muito difícil. Teria de melhorar muito. A concorrência é muito forte e teria de superar, principalmente, Camila Brait, que é ótima, e a Leia, destaque da nova geração. Mas não vou desanimar por causa das dificuldades. Vou lutar e, se derem bobeira, quero estar no Rio.”

PERFIL
Welissa de Souza Gonzaga (Sassá)
Nascimento: 9 de setembro de 1982, em Barbacena
Posição: Líbero
Peso e altura: 76kg e 1,79m
Time atual: Brasília
Principais conquistas
1 medalha de ouro olímpica
Pentacampeã do Grand Prix Mundial
2 medalhas de prata no Grand Prix Mundial
1 medalha de bronze no Grand Prix Mundial
Campeã da Copa do Mundo

Tags: sassá vôlei sassa volei