ATAQUE X DEFESA

Desta vez para brilhar?

Na volta ao Mineirão, contra o Irã, Messi tem chance de apagar performance discreta de 2008

postado em 21/06/2014 08:40

Renan Damasceno / Estado de Minas

Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press

Após seis anos, Lionel Messi retorna ao Mineirão com a missão de liderar a Argentina rumo à classificação para as oitavas de final, no jogo contra o franco-atirador Irã, às 13h de hoje, pela segunda rodada do Grupo F. Os argentinos venceram a Bósnia por 2 a 1, na estreia, mas não convenceram, o que aumenta a pressão por uma boa exibição em Belo Horizonte, a primeira em que o técnico Alejandro Sabella poderá escalar o seu quarteto fantástico – Di María, Messi, Agüero e Higuaín.

Em sua primeira passagem pela capital mineira, em 18 de junho de 2008, Messi, às vésperas de completar 21 anos, teve atuação discreta no 0 a 0 com a Seleção Brasileira pelas Eliminatórias e chegou a ser substituído por Rodrigo Palacio no segundo tempo. Desde então, tornou-se a principal referência do futebol argentino: ganhou quatro vezes o prêmio de melhor do mundo, mais de 20 títulos pelo Barcelona e, depois de passar em branco na Copa do Mundo’2010, melhorou seu rendimento com a camisa alviceleste a partir de 2012, quando virou o capitão.

Tanto prestígio foi benéfico para Messi, que marcou 22 gols nos últimos 26 jogos, mas aumentou as especulações sobre quem tem mais força na seleção: o craque ou o treinador. Um dia após a vitória por 2 a 1 sobre a Bósnia, no Maracanã, o astro surpreendeu, ao afirmar que prefere o 4-3-3 em vez do 5-3-2 implantado por Sabella.

“Não me perturba nem um pouco a opinião do Lio. Perguntaram como ele gostava de jogar e ele respondeu. Reiterou o que sempre diz, com respeito, o que já sabíamos. Nossa relação é de cordialidade. Ele tem espírito de trabalho em grupo. É bom ter um líder entre os jogadores. Às vezes, o técnico ensina, às vezes aprendemos com os jogadores”, declarou o treinador a jornalistas no Mineirão.

Sabella confirmou que vai usar o 4-3-3, como tem treinado ao longo da semana na Cidade do Galo. Com a alteração, o zagueiro Campagnaro vai para o banco, dando lugar ao volante Gago, e o atacante Higuaín, que jogou apenas 45 minutos na estreia, entra em lugar de Maxi Rodríguez. Os outros jogadores foram mantidos.

BOAS LEMBRANÇAS A pedido da Fifa, Argentina e Irã não treinaram no Mineirão ontem. O objetivo foi preservar o gramado. Com isso, os atletas fizeram coletivo em Vespasiano e apenas o treinador e o volante reserva Augusto Fernández foram ao estádio para conceder entrevista obrigatória. Antes de seguir para a sala de imprensa, Sabella fez questão de ir à beira do campo para ver as condições da grama e lembrar de sua maior conquista como técnico: ele comandava o Estudiantes, que venceu ali o Cruzeiro por 2 a 1, conquistando o título da Libertadores’2009.

“Tenho ótimas lembranças daqui. Estava pensando exatamente nisso vindo para cá. Lembrei-me de quando o ônibus chegou. Naquela noite, os jogadores cantavam, o que surpreendeu os torcedores do Cruzeiro. Achavam que éramos loucos pela confiança. Hoje (ontem), reparei que está reformado, nem vi onde estava o placar. Até hoje me lembro do letreiro: Cruzeiro 1 x 2 Estudiantes.”

FICHA TÉCNICA

Argentina x Irã

Argentina: Romero; Zabaleta, Fernández, Garay e Rojo; Mascherano, Garo e Di María; Higuaín, Messi e Agüero.
Técnico: Alejandro Sabella

Irã: Haghighi; Heydar; Haji Safi, Hosseini e Sadeghi; Nekounam, Timotian, Montazeri e Ghoochannejad; Dejagah e Pooladi
Técnico: Carlos Queiroz

Estádio: Mineirão
Horário: 13h
Árbitro: Mirolad Mazic (SER)
Assistentes: Milovan Ristic e Dalibor Djurdjevic (SER)
TV: Band, Globo, Sportv, Espn, Bandsports e Fox


ENQUANTO ISSO...
Maradona, a dúvida
A vinda de Diego Maradona a Belo Horizonte é cercada de mistério. Ele está no Rio, trabalhando para uma TV venezuelana, e reafirmou o desejo de acompanhar a partida de hoje, mas não garantiu presença. O craque pediu discrição para entrar sem ser notado, mas como tem rusgas com a Fifa, ainda não conseguiu credencial ou convite para ver o jogo com seu filho, Diego Fernando, de 1 ano. Caso venha, o programa De Zurda, do qual é comentarista, será transmitido da Cidade do Galo hoje, às 20h. A produção estuda como fará o estúdio no CT. Na estreia contra a Bósnia, apesar do credenciamento de imprensa, ele foi barrado no Maracanã e acusou a organização de “má-fé”.

Tags: copa2014 Argentina Irã Grupo F Copa do Mundo