SELEÇÃO BRASILEIRA

A nova cara da Seleção

Quem serão os jogadores chamados por Dunga em sua primeira convocação, em meados de agosto, para os amistosos com Colômbia e Equador, em setembro, nos Estados Unidos?

postado em 27/07/2014 08:39

Rafael Ribeiro / CBF


A anunciada renovação na Seleção Brasileira – depois do vexame na Copa do Mundo, com as goleadas de 7 a 1 para a Alemanha, na semifinal, no Mineirão, e de 3 a 0 para a Holanda, na decisão do terceiro lugar, no Mané Garrincha – começou na semana passada, com nova comissão técnica, comandada pelo treinador Dunga e o diretor de seleções Gilmar Rinaldi. A expectativa maior agora é em relação aos jogadores que farão parte dos planos. A primeira convocação será em meados de agosto, para os amistosos contra Colômbia e Equador, em 5 e 9 de setembro, nos Estados Unidos.

Em sua primeira entrevista, Dunga já demonstrou preocupação em conciliar a reformulação desejada por todos com a necessidade de resultados imediatos na Copa América de 2015, no Chile, e nas Eliminatórias da Copa do Mundo da Rússia. “Todas as coisas são importantes. Temos de obter resultados e formar uma Seleção para 2018. É uma Seleção jovem. Temos de passar para o público os dois lados da moeda. O importante é colocar no momento certo alguns jogadores novos com certa experiência. No caminho, você precisa ter o resultado para fazer o trabalho com calma. Você não coloca o jogador apenas porque ele é novo, mas pela competência e pelo rendimento. Você não pode excluir pela idade, mas pelo rendimento em campo”, explicou Dunga.

Para facilitar esse trabalho e não pôr em risco o prestígio do treinador com possível fracasso, a CBF decidiu tirar de Dunga o comando da equipe olímpica nos Jogos do Rio’2016, diferentemente de Londres’2008. Alexandre Gallo, coordenador das seleções de base, será o técnico da Seleção Olímpica, e o projeto por ele apresentado prevê que de seis a oito jogadores entre 20 e 22 anos sejam convocados em cada lista. “Vamos trabalhar em conjunto com as categorias de base, sob a coordenação do Gallo, assim como com a coordenação do Gilmar”, anunciou Dunga. Este também deixou claro que pretende aproveitar atletas da recente Copa do Mundo. “Não podemos colocar tudo como terra arrasada. Houve muitas coisas boas”, justificou.

OPÇÕES

Em sua primeira passagem pelo cargo, entre 2006 e 2010, Dunga chamou 90 jogadores em 28 convocações. O volante Gilberto Silva e o atacante Robinho foram os mais assíduos. Desses mais de oito times, 12 estiveram na lista de Luiz Felipe Scolari no Mundial, nove dos quais estrearam na Seleção com o atual treinador: o goleiro Victor, os laterais Daniel Alves e Marcelo, os zagueiros Thiago Silva e Henrique, os volantes Ramires e Hernanes e os atacantes Hulk e Jô.

Na época, também com o objetivo de renovar a Seleção depois da má campanha na Alemanha’2006, Dunga repetiu 10 jogadores de sua primeira lista. Dos 22 convocados em 1º de agosto de 2006 para o amistoso com a Noruega (1 a 1, em Oslo), foram ao Mundial da África do Sul’2010 o goleiro Gomes, os zagueiros Lúcio, Juan e Luisão, os laterais Maicon e Gilberto, o volante Gilberto Silva, os armadores Elano e Júlio Baptista e o atacante Robinho.

Agora, Dunga também poderá aproveitar jogadores com experiência em Copas, pelo menos para iniciar seu trabalho e fazer boa campanha na Copa América. Como opção, terá alguns dos preteridos por Felipão. E há ainda jovens que têm se destacado desde o ano passado. Ao mesmo tempo, ele terá de formar, ao lado de Alexandre Gallo, a equipe que mais uma vez tentará conquistar no Rio o inédito ouro olímpico.

Tags: dunga seleção renovação brasil copa2018 rússia