ENTREVISTA

Volante Ramires em entrevista exclusiva: 'Estamos rotulados e temos de aceitar isso'

Para ex-cruzeirense, nem título com futebol apagará completamente 7 a 1 do Mineirão

postado em 03/09/2014 00:30 / atualizado em 02/09/2014 21:09

Rafael Ribeiro/CBF


Jaeci Carvalho

Enviado Especial
Miami

Remanescente das Copas do Mundo de 2010 e 2014, Ramires é um dos trunfos de Dunga para ajudar a Seleção Brasileira no processo de transição rumo a 2018. Humilde, o ex-volante cruzeirense é categórico ao dizer que a marca dos 7 a 1 para a Alemanha na semifinal do Mundial, no Mineirão, jamais será apagada. E diz que trocaria o título da Liga dos Campeões da Europa de 2012 pelo Chelsea, em que não jogou a final por estar suspenso, por um resultado melhor agora diante dos alemães.

O que Dunga representa para você?

Um cara de caráter, coração bom, vencedor, que gosta das coisas certas. Sempre tive ótimo relacionamento com ele e espero ajudá-lo neste novo trabalho.

Como superar o estigma de perdedor depois do vexame na Copa?

Aquela marca, aquele vexame, não vamos conseguir tirar. Estamos rotulados e temos de aceitar isso. Só dando a volta por cima, ganhando um Mundial, e com futebol convincente, poderemos apagar um pouco daquilo. Mas não será fácil. Carregaremos isso por muitos anos.

O que os companheiros de Chelsea e o técnico José Mourinho falaram dos 7 a 1?

A maioria não entende até hoje. Eles perguntam e a gente não sabe explicar, mas não ficam em cima, nos torturando. São todos do futebol e sabem que há coisas que não têm explicação.

Seria a falta de treinos, de comando, a explicação mais plausível?

Não acredito. Se tivéssemos perdido de 1 a 0, ninguém estaria falando que não houve treinos. Treinamos sim, e muito, mas houve uma fatalidade. Como eu disse, vamos conviver com isso por muito tempo. Entrei naquele jogo no segundo tempo. Não havia muito o que fazer. Felipão sempre teve comando, mas, quando se perde daquele jeito, tudo é motivo de questionamento.

O que você disse para seus filhos?

Davi tem 4 anos; Camile, 9. Quando perco um jogo, até mesmo no Chelsea, eles me questionam sobre o que aconteceu. Fiquei muito envergonhado, mas eles sentem quando estou mal. É preciso tirar lições daquela derrota para que isso nunca mais aconteça com o Brasil.

Como está o Chelsea para o Campeonato Inglês e a Liga dos Campeões?

Montamos um time ainda mais forte e já entendemos muito bem a filosofia do Mourinho. É um excelente treinador, e vamos fazer uma grande temporada.

Com 27 anos, você pode disputar sua terceira Copa...

Estou aqui com a cabeça em 2018. Trabalhei em 2010 com Dunga e agora com Felipão. Sei como Dunga gosta que eu atue e vou procurar passar minha experiência aos mais jovens. Claro que meu objetivo é ir ao Mundial da Rússia, mas estamos apenas começando um trabalho.

O início será contra a Colômbia, forte, bem armada e reforçada por Falcão García. Não seria melhor um adversário menos qualificado?


Acho que não. É até melhor para entendermos em que estágio começaremos. Às vezes, vitórias sobre equipes consideradas mais fracas mascaram todo um trabalho.

Você acompanha o Cruzeiro?

Claro, não perco um jogo sequer. Vai ser campeão brasileiro novamente e, se bobearem, ganha a Copa do Brasil também. É um time que pratica um futebol bonito. Tenho saudades do Mineirão e da torcida azul. Tenho muito orgulho de ter jogado no Cruzeiro e começado lá uma bela história. Sou grato ao clube que me projetou e me levou à Europa.

Rafael Ribeiro/CBF



QUEM É ELE

Ramires Santos do Nascimento

Volante

Nascimento
24/3/87, em Barra do Piraí (RJ)

Clubes
Joinville (2005/07), Cruzeiro (110 jogos e 26 gols, em 2007/09), Benfica (2009/10) e Chelsea (desde 2010)

Títulos
Catarinense 2006, Mineiro 2008, Português 2010, Copa da Inglaterra 2012, Liga dos Campeões 2012, Liga Europa 2013

Seleção Brasileira
49 jogos e 4 gols desde 2009

Título
Copa das Confederações 2009

Tags: copadobrasil seriea futinternacional exclusiva entrevista selefut cruzeiroec ramires