BOLA MÚNDI

Caso Sala e a podridão da bola

Nas redes sociais, houve quem culpasse o atleta por %u2018escolher%u2019 sobrevoar uma área conhecida como o cemitério de aviões

postado em 24/01/2019 09:29 / atualizado em 24/01/2019 09:35

LOIC VENANCE/AFP

Soa até meio macabro, mas poucos momentos depois de serem divulgadas as primeiras informações sobre o desaparecimento do avião que levava o jogador argentino Emiliano Sala (foto) de Nantes, na França, para Cardiff, no País de Gales, surgiram também as primeiras piadinhas a respeito da tragédia. Nas redes sociais, houve quem culpasse o atleta por “escolher” sobrevoar uma área conhecida como o cemitério de aviões e até quem afirmasse que o jogador teria “arquitetado” seu desaparecimento. Teorias da conspiração em plena tragédia.

Como se tais especulações não fossem o bastante para um momento que, de felicidade extrema (Sala acabava de ser contratado por 17 milhões de euros pelo Cardiff junto ao Nantes) se transformou em tristeza para familiares e amigos de Sala, o pior ainda estava por vir. E no mundo virtual... Jogadores de Fifa 19 tentaram lucrar (literalmente) com a carta do jogador. Para quem não é muito adepto do ramo, é fácil explicar: cada jogador de futebol tem um card onde são listadas pontuações segundo suas habilidades. Antes do sumiço do avião, o argentino valia em torno de 650 moedas. Depois da notícia, os preços aumentaram em mais de 15 vezes, chegando a 10 mil moedas. E apesar de as tais moedas serem virtuais, há quem pague dinheiro de verdade para adquiri-las. E não é pouco grana.

Desenvolvedora do Fifa 19, a empresa EA Sports não havia se posicionado a respeito até o fechamento desta coluna. A Fifa também não abriu o bico. O provável é que o card do jogador seja retirado dos novos pacotes da EA Sports. Por isso mesmo, seu card ficaria ainda mais raro, aumentando o preço da negociação e o ciclo vicioso.

Geralmente, quando relatamos alguma história marcante, algum exemplo de vida que o futebol nos reserva, dizemos que “não é só futebol”, valorizando este esporte que tanto amamos. Desta vez, entretanto, lamento ter que escrever que o que está acontecendo agora “não é mais futebol”. Minhas condolências à família Sala e ao velho esporte bretão.

Longo prazo
Escolhido para sediar a Copa do Mundo de 2022, o Catar vem se destacando na 17ª edição da Copa da Ásia, que está sendo disputada nos Emirados Árabes. Ao bater o Irã (primeira vitória em jogo mata-mata na história da competição), se classificou às quartas de final e amanhã pega a Coreia do Sul por uma vaga nas semifinais. O que pouca gente sabe é que esses resultados são frutos de longo trabalho do técnico espanhol Félix Bas. Após trabalhar 10 anos nas categorias de base do Barcelona (1996 a 2006), ele assinou contrato com a Federação do Catar em 2013 para comandar primeiro as seleções Sub-19 (2013/2015) e Sub-20 (2014/2017). Em 2017, assumiu a Sub-23 e o time principal. Tudo bem que ele conta com seis jogadores naturalizados em seu grupo (tem inglês, português, argelino, sudanês, egípcio, francês), mas vem lapidando a geração que terá a responsa de jogar um Mundial em casa. Nós sabemos bem como é...

Novo capítulo?
A história do Barcelona está repleta de jogadores holandeses que fizeram sucesso: Cruyff, Koeman, Rijkaard, Edgar Davids, os irmãos Frank e Ronald de Boer... O novo integrante desta lista tem tudo para brilhar também: Frenkie de Jong, anunciado ontem como novo reforçou blaugrana. Destaque do Ajax, ele foi sondado também por City, PSG e Juventus. Com ele e o ganês Kevin-Prince Boateng (por que não?), o Barcelona segue qualificando o grupo de Ernesto Valverde.

DE OLHO
Alejandro Marques

Considerado um dos jovens mais promissores da Europa, o atacante venezuelano Alejandro Marques, de 18 anos e 1m89, foge do estereótipo de centroavante grandalhão/desengonçado. Ele é forte sim no jogo aéreo, mas também tem boa técnica e demonstra muito oportunismo. Seu talento foi reconhecido desde cedo, tanto que foi para a Espanha quando tinha 13 anos para defender o Espanyol. Passou pelo Terassa Jábac (clube mais conhecido pelo beisebol) antes de chegar às canteras do Barcelona em junho de 2017. Por enquanto, tem atuado apenas na equipe B, que disputa a segundona espanhola.