Estando bom entre as partes...

Acordo confirma novo prédio de apoio à comunidade em dois anos. Até lá, Secopa coordenará imóvel cedido pela prefeitura ao Estado

postado em 29/08/2013 09:06 / atualizado em 29/08/2013 09:12

Uma das pendências do novo Independência desde a reinauguração em abril de 2012, o prédio de apoio voltado à comunidade do entorno promete enfim sair do papel. Acordo celebrado entre o vice-prefeito e secretário Municipal de Meio Ambiente, Délio Malheiros, e lideranças comunitárias dos bairros Horto e Sagrada Família (Região Leste da capital), definiu a cessão de uma casa, a três quarteirões do estádio, para atendimento às demandas sociais, culturais e educacionais. O espaço funcionará durante dois anos até que um novo edifício seja construído na área interna da arena, sem que haja a necessidade do fechamento do anel de arquibancadas ou ampliação do estacionamento – alega o gestor do estádio.

Hoje utilizado como depósito da Superintendência de Limpeza Urbana (SLU), o imóvel situado na Rua Alabastro, 500, será entregue à comunidade até o fim de setembro. Antes disso, passará ao controle da Secretaria de Estado Extraordinária da Copa (Secopa), que supervisionará uma reforma custeada pela Arena Independência – subsidiária da empresa paulista BWA, que detém o contrato de operação do estádio até 2022. “Fizemos uma reunião com as associações de bairros e ficou acertado que a prefeitura irá ceder o imóvel. Como o Estado fez um dos dois pedidos de licença de operação (o outro foi feito pelo concessionário), a casa ficará sob seu controle por um prazo máximo de dois anos. Esse é o tempo exigido para a construção do novo prédio de apoio. A Arena Independência já está elaborando o projeto e eles têm um prazo de 60 dias para apresentar o cronograma da construção”, disse ontem Malheiros, que estava em viagem, ao Estado de Minas.

A construção do prédio de apoio e o aumento do número de vagas para carros das atuais 422 para 950, compõem três das 12 condicionantes da Licença de Operação (LO) ambiental do Independência. Embora trate de uma antiga demanda (antes da reforma, a arena contava com uma unidade de ensino) e também contemple um conselho permanente entre moradores e gestores, o acordo pode, por outro lado, enterrar a ampliação do estacionamento.

MESMO ESTACIONAMENTO A intenção do concessionário, segundo o gerente operacional da Arena Independência Helber Gurgel, é manter as vagas atuais sem que seja preciso um edifício para completar o anel de arquibancadas (hoje limitadas a 23.018 lugares). “Faremos o espaço de convivência em até dois anos, mas somos contra a expansão do estacionamento. O impacto no trânsito seria muito maior. Consultamos prefeitura, regional Leste, BHTrans, Guarda Municipal e associações de bairro e ninguém foi a favor. Com base nisso, vamos apresentar um estudo”, confirmou Gurgel.

Os custos de manutenção do imóvel temporário e construção do novo prédio ficarão a cargo do concessionário. “Nos reunimos com a Secopa e o órgão ficou comprometido de descontar da Arena Independência o valor pago na manutenção da casa”, afirmou Malheiros. A Secopa se limitou a dizer, em nota, que a LO está em fase final de negociação.

Cronologia

15 de março de 2012

Licença de Operação da arena do Horto é expedida pelo Conselho Municipal do Meio Ambiente (Coman) 40 dias antes da reinauguração, com o amistoso América 2 x 1 Argentinos Juniors

Junho de 2013

Secretaria Municipal de Meio Ambiente notifica o concessionário da Arena Independência pelo descumprimento das três condicionantes sobre a reconstrução do prédio de apoio à comunidade e a ampliação do estacionamento. Insatisfeitos, vizinhos do estádio solicitam audiência pública na Câmara Municipal

Julho de 2013

Acordo celebrado entre a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, lideranças da região do Horto (Região leste de Belo Horizonte) e Arena Independência, decide estender até agosto discussão para elaboração do projeto do prédio de apoio à comunidade

Tags: atleticomg